Tremor na Bahia chegou a 4,6 na escala Richter, apontam especialistas

Um terremoto de magnitude 4,6 na escala Richter foi registrado na Bahia, na região da cidade de Mutuípe, que fica no Vale do Jiquiriçá, na manhã deste domingo (30), segundo cálculos do Laboratório de Sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

De acordo com o Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP), o epicentro do fenômeno ocorreu na cidade de Amargosa e teve magnitude de 4.2 mR. Nas redes sociais e aplicativos de troca de mensagens, moradores de Santo Antônio de Jesus, São Miguel das Matas, Varzedo e algumas cidades do Sul da Bahia como Valença e Ipiaú relataram que sentiram o tremor e se mostraram apreensivos com a situação. Em Salvador, os tremores também foram sentidos. Não há registro de feridos.

No site do Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo, constam dois registros de terremotos nas regiões de Amargosa e São Miguel das Matas, com magnitudes de 4.2 e 3.7 na escala Richter, respectivamente.

O centro esclareceu que tremores pequenos são relativamente comuns no Brasil e podem ocorrer em qualquer lugar. “Normalmente, não trazem nenhum perigo a não ser um pouco de susto a população”.

De acordo com Aderson Nascimento, coordenador do Laboratório de Sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que esse terremoto teve alta magnitude e também pôde ser sentido em Salvador.

“A gente fez uma análise preliminar e esse evento maior foi registrado pela rede mundial, foi de magnitude 4,6, a 6 km a sul para sudoeste de Mutuípe. Salvador fica a pouco menos de 100 km de Mutuípe e, com essa magnitude, ele certamente foi sentido em Salvador. Ele foi registrado em todas as estações da rede sismográfica brasileira, que a gente tem financiada pelo Serviço Geológico Brasileiro”, detalhou Aderson.