Testemunha conta como o delegado foi assassinado em Itabuna

O Policial Civil, Figueiredo, que estava com o Delegado José Mastique, morto por policiais militares na madrugada de domingo (28), em Itabuna prestou depoimento e divulgou um áudio contando o que aconteceu na cena do crime.

A testemunha disse que uma mulher estava sendo agredida por um homem, o delegado fez a intervenção na briga, o agente mandou que todos encostassem na parede, o elemento continuou agredindo a mulher, o delegado identificou o policial militar apaisana e houve uma discussão entre o delegado e o militar.

Em seguida o policial pediu reforço de colegas, de imediato duas viaturas chegaram e o clima esquentou ainda mais. Os militares mandaram o delgado e o agente deitarem no chão, mas eles não obedeceram.

Ainda segundo a testemunha, o cabo PM puxou a pistola na cintura do delegado e teria dito “sai da frente soldado”, e se ouviu o estampido baleando o delegado. O agente se deitou e pediu que socorressem o delgado que estava baleado, mas o socorro demorou a ser prestado e depois de um longo tempo os militares colocaram o delegado no fundo da viatura e levaram para o hospital, mas Dr José Mastique não resistiu e morreu. Dois policiais militares envolvidos na morte do delegado José Carlos Mastique, no último domingo (28), foram presos na terça-feira (30) em cumprimento a mandados judiciais. Os dois, que não tiveram os nomes divulgados, trabalham no 15º Batalhão da Polícia Militar.

Junior Mascote