Suspeito de incendiar colégio estadual no norte da Bahia é preso

O suspeito de incendiar o Colégio Estadual Dulcina Cruz Lima e praticar vandalismo em outras instituições de ensino, na cidade de Rodelas, que fica a 115 quilômetros de Paulo Afonso, no norte da Bahia, foi preso no sábado (5). Segundo informações das Polícias Civil e Militar, ele confessou os crimes.

O suspeito foi identificado como Danilo Santos Conceição. De acordo com a PM, o jovem foi encontrado depois que um amigo dele foi interceptado por policiais militares que faziam rondas na cidade. O outro jovem, que não teve a identidade divulgada, apontou Danilo como autor dos crimes e entregou a localização dele.

A polícia foi até a casa do suspeito e o prendeu. N imóvel, a PM achou um notebook, duas caixas de som, um monitor preto, fios de computadores, dois grampeadores e dois uniformes da escola – material que tinha sido furtado.

Conforme informou a Polícia Civil, Danilo e os materiais apreendidos foram encaminhados para a delegacia de Paulo Afonso. Ainda não há detalhes se há suspeitas de outras participações no crime.

Incêndio

No incêndio do Colégio Estadual Dulcina Cruz Lima, as salas da secretaria e direção foram as mais atacadas. Todo o arquivo da escola, como programação, documento de alunos e de professores foram destruídos, além dos computadores, impressoras e ventiladores.

Segundo a direção do colégio, desde o dia 25 de dezembro de 2018, até o sábado, essa foi a terceira vez que vândalos entraram no colégio, já que a unidade de ensino está há dois anos sem segurança.

Na semana primeira semana de janeiro, notebooks e outros materiais escolares foram levados. O colégio tem 500 alunos e funciona o ensino fundamental, médio e técnico.

De acordo com a Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC), a polícia foi acionada para investigar o ocorrido. Não houve feridos durante o ataque.

Ainda segundo a SEC, técnicos do Núcleo Territorial de Educação de Paulo Afonso irão levantar os serviços de manutenção de infraestrutura e a aquisição dos equipamentos necessários para o pleno funcionamento da unidade escolar no ano letivo de 2019.

G1