Segurança restringe acesso de jornalistas durante posse e joga lanches no lixo

Jornalistas sofrem restrições impostas pela equipe responsável pela segurança da posse presidencial, nesta quarta-feira (1º), em Brasília. A imprensa foi impedida de transitar entre os prédios da Esplanada e da Praça dos Três Poderes e também foram obrigados a chegar horas antes aos locais onde ocorrerão os eventos.

De acordo com o Correio Braziliense, em alguns locais, a exemplo do Congresso, os repórteres não têm acesso a água nem autorização para ir ao banheiro em determinados momentos, e lanches, como frutas e sucos, levados por alguns repórteres, foram recolhidos e jogados no lixo pelas equipes de segurança.

Os profissionais da imprensa tiveram de comparecer ao Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) ás 7h desta quarta para pegarem os veículos que os levaram ao Planalto, Itamaraty e Congresso Nacional. Depois do transporte, os jornalistas foram obrigados a permanecer nos locais até a hora do evento, sendo que alguns deles, a exemplo da recepção no Itamaraty, só ocorrerão à noite.

Em decorrência das limitações, jornalistas da imprensa internacional, da França e China, deixaram o Palácio do Itamaraty. Ainda segundo o Correio Braziliense, houve dificuldade até para sair do local. A assessoria do Itamaraty teria alegado que eles não poderiam sair do ministério até às 20h, quando saem os primeiros ônibus que levarão os jornalistas de volta ao Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). Após críticas de que a reclusão imposta coloca a imprensa em uma situação de “cárcere privado”, a comunicação do ministério conseguiu um ônibus para levar quem desejasse sair.

Através do Twitter a jornalista do The Intercept Brasil, Amanda Audi, reclamou da situação e disse que o acesso a água foi negado a alguns membros da imprensa. “Não se trata cachorro como os jornalistas são tratados na posse de Bolsonaro. Não tem água, precisa de autorização pra ir ao banheiro, não pode circular pra lugar nenhum, jornada de 14 horas, fomos revistados duas vezes e nos alertaram que há risco de levar bala dos atiradores”, publicou Audi.