Saiba como proceder em casos de queimaduras durante o São João

Fogos de artifício e fogueiras fazem a alegria das festas juninas, mas é preciso ter bastante cuidado para evitar que as queimaduras interrompam as comemorações.

Segundo dados da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia, no ano passado, houve 104 internações no Hospital Geral do Estado (HGE) por queimaduras causadas por fogos de artifício, sendo que duas das vítimas foram a óbito. Somente este ano, antes mesmo de começar oficialmente as festas juninas, a unidade de saúde já registrou 27 internações por esse motivo.

Segundo o médico dermatologista, Cleones da Rocha Reis, em casos de queimadura, a única recomendação imediata é lavar o local.

“Deve-se lavar bastante a área com água e sabão, além de procurar imediatamente um posto de saúde para receber a orientação necessária”, disse o médico.

“Em hipótese alguma use qualquer outra substância. Evite passar coisas caseiras, como gelo ou manteiga”, alertou. Segundo o médico, em casos mais graves será necessário internamento.

Confira os tipos de queimaduras e saiba como diferenciá-las:

Queimadura de 1º grau

São mais superficiais e atingem apenas a epiderme da pele. Os sintomas são dor e vermelhidão local, mas não produz bolhas, nem deixam sequelas.

Queimadura de 2º grau

São divididas em dois tipos: superficial e profunda. A superficial tem os mesmos sintomas da queimadura de 1º grau, mas produz bolhas e tem a cicatrização mais demorada. Já as profundas chegam a atingir a derme e são semelhantes às queimaduras de 3º grau, com risco de destruição das terminações nervosas e dos folículos capilares, podendo deixar a pele sem pelos. A cicatrização também é mais demorada e costuma deixar cicatrizes.

Queimadura de 3º grau

São queimaduras mais profundas que atingem até os músculos e ossos. Apesar de indolores, as lesões deixam a área deformada e, em alguns casos, necessita de enxertos. A depender da gravidade pode levar à morte.

Varela