Questionado sobre Covaxin, Bolsonaro pede que jornalista “pare de fazer perguntas idiotas”

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi protagonista de um novo ataque à imprensa na manhã desta sexta-feira (25). Uma transmissão do canal CNN mostra o líder nacional gritando e interrompendo uma jornalista ao ser questionado sobre irregularidades envolvendo as negociações para importação da vacina contra a Covid-19 Covaxin, produzida na Índia.

A gravação mostra a profissional tentando fazer uma pergunta ao presidente, enquanto ele repete a palavra “responda”, ao mesmo tempo em que pergunta quando a compra referida por ela foi feita. Ao ouvir a resposta indicando que foi em fevereiro, ele questiona “onde tem vacina para vender aqui?”.

Sem responder ainda ao questionamento, ele finaliza pedindo à jornalista, em tom de deboche, que “pare de fazer perguntas idiotas” e completa “você está empregada onde?”, rindo.

Ainda nesta semana, outra repórter foi alvo das irritações do presidente. Na segunda (21), além de usar adjetivos como “lixo” e “porcaria” para desqualificar o trabalho da imprensa, o presidente mandou a profissional calar a boca. Na ocasião, a agressão verbal foi registrada em vídeo divulgado pelo site Metrópoles.

As negociações sobre a importação da vacina são alvos do Ministério Público e da CPI da Covid. De acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU), a Covaxin foi a vacina mais cara negociada pelo governo federal até agora: R$ 80,70 a unidade, valor quatro vezes maior que a vacina da Fiocruz, a AstraZeneca.