Promessa de gás de cozinha pela metade do preço não é cumprida

Em junho deste ano, o ministro da Economia, Paulo Guedes, prometeu que o preço do botijão do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) residencial, conhecido como gás de cozinha, cairia até 50% com a abertura do mercado do setor no país, por causa da maior competição entre empresas. Na época, o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) aprovou resolução com diretrizes para dar início à abertura do mercado de gás no Brasil.

Mas, essa ainda não é a realidade no mercado. O gás de cozinha, está mais caro nas refinarias da Petrobras desde terça-feira (22). A informação foi divulgada pelo Sindicato Nacional das Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) e confirmada pela empresa.

Durante a campanha, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) também prometeu baixar para apenas R$ 30 o valor do botijão no seu mandato. Dez meses depois, o preço médio do botijão já é R$ 69,10 podendo alcançar R$ 115. O preço do gás residencial subiu de 4,8% a 5,3%. O gás vendido para as indústrias também terá reajuste de 2,9% a 3,2%.

Metro 1