Procurador que denunciou Glenn é o mesmo que acusou presidente da OAB de calúnia a Moro

O procurador da República Wellington Oliveira, de 51 anos, que denunciou ontem (21) o jornalista Glenn Greenwald, foi o mesmo que apresentou acusação contra o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, por calúnia ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. As informações são da Folha.

Oliveira denunciou o fundador do site The Intercept Brasil e outras seis pessoas sob acusação de envolvimento no hackeamento de mensagens de autoridades, incluindo Moro. Ele entrou no Ministério Público Federal (MPF) em 2004, após atuar na Defensoria Pública do Distrito Federal por dois anos, e chegou a integrar o Exército por 13 anos antes disso.

A ação movida por ele contra Santa Cruz foi rejeitada na Justiça. Anteriormente, em 2007, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) havia sido alvo do procurador. O petista foi denunciado por Oliveira de improbidade administrativa, por suposta realização de superávit primário com recursos que deveriam ser utilizados em ações sociais. A acusação não foi aceita.

Na ocasião, o membro do MPF disse que trabalhou por sete meses para “perseguir Lula”, contra quem ele abriu uma investigação anos mais tarde, em 2016, por suposta apropriação indevida de um crucifixo. Para iniciar a apuração, pediu ao então juiz Sergio Moro acesso a documentos em que constavam presentes recebidos por Lula durante o mandato.

Em 2018, Oliveira chegou a solicitar o arquivamento das investigações, decisão rejeitada pela Justiça. Logo em seguida, então, ele deixou o caso. O processo hoje segue em andamento, sob responsabilidade do procurador Frederico Paiva. Dois anos depois, Oliveira chegou a pedir o arquivamento das investigações, mas a decisão foi rejeitada pela Justiça. Ele saiu do caso logo em seguida.

Metro 1