Procurador baiano é suspenso pelo CNMP após chamar Bolsonaro de “bunda-suja e fascista”

O procurador de Justiça baiano Rômulo de Andrade Moreira, que chamou o presidente Jair Bolsonaro de “bunda-suja fascista”, foi suspenso por 30 dias pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). As informações são do site O Antagonista, desta terça-feira (13).

Logo depois das eleições de 2018, em um blog, Moreira chamou o então presidente eleito de “bunda-suja, fascista, preconceituoso, desqualificado, homofóbico, racista, misógino, retrógrado, arauto da tortura, adorador de torturadores, amante das ditaduras, subserviente aos militares”.

Durante o mês que o procurador estiver afastado de suas atividades profissionais, ele não irá receber salário. Para o relator do caso, Luciano Mariz Maia, vice-procurador Geral da República, Moreira extrapolou seu o direito à liberdade de expressão.

EBC



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *