Polícia pede prisão de suspeito que negociou com mãe compra de filho

A Polícia Civil da Bahia pediu à Justiça a prisão preventiva do suspeito que negociou a compra de uma criança de 12 anos, que seria vendido por R$ 70 mil pela mãe.

A identidade do homem – que é procurado – não foi divulgada pela Polícia. O caso ocorreu no município de Santa Maria da Vitória, no oeste baiano, que fica a cerca de 870 quilômetros de Salvador.

O coordenador regional da Polícia Civil Alexandre Haas informou ao G1 Bahia que a polícia aguarda o posicionamento do poder judiciário quanto aos pedidos e que o Ministério Público (MP) se manifestou favorável aos requerimentos.

Maria Roque Rocha, que mora em Botuporã, no sudoeste do estado, confessou que viajou para vender o filho. O homem, que iria pegar o adolescente na rodoviária de Santa Maria da Vitória, seria responsável também por encaminhar o menor a uma outra família brasileira que está morando no Japão. Ela confirmou, em depoimento prestado à polícia, que receberia R$ 5 mil na rodoviária e mais R$ 65 mil quando o filho chegasse ao país asiático.

Ainda segundo informações do coordenador regional ao G1, Maria não tem passagens pela polícia e não era usuária de drogas. O suspeito de intermediar a compra da criança tem envolvimento com o tráfico e porte ilegal de armas.

O adolescente é acompanhado por conselheiros tutelares de Santa Maria da Vitória. A mãe pode pegar de 4 a 8 anos de prisão por tráfico de pessoas. Ela está presa à disposição da Justiça.

Entenda o caso

Maria Roque Rocha foi presa após confessar que venderia o filho de 12 anos por R$ 70 mil para um homem na rodoviária de Santa Maria da Vitória na tarde de sexta-feira (11). Ela deixou o filho sozinho na rodoviária e foi embora, por volta das 13h30.

A Polícia Civil encontrou o menino chorando. Ele explicou a situação e falou o nome e o número de telefone da mãe para os investigadores e representantes do Conselho Tutelar da cidade. As autoridades tentaram o contato, mas não conseguiram.

A polícia começou as buscas para procurar Maria após verem imagens da câmera de segurança da rodoviária. Porém, Maria Rocha retornou os telefonemas da polícia, por volta das 17h30, afirmando que tinha sido sequestrada e que estava na rodoviária de Bom Jesus da Lapa. Ela foi presa e levada de volta a Santa Maria da Vitória.

Segundo a polícia, Maria Rocha manteve, em princípio, a versão do sequestro. Mas depois confessou que entregaria o filho para um homem e receberia, inicialmente, R$ 5 mil.

Conforme a Polícia Civil, o menino tinha informado para os agentes que o homem havia prometido levá-lo para o Japão e entregar à mãe dele mais R$ 65 mil. A mulher confirmou a informação em depoimento.