Polícia Federal apura participação de empresas baianas em fraudes ligadas à J&F; veja

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta sexta-feira (16), a Operação Marquetagem, que cumpriu mandados de busca e apreensão em Salvador, Fortaleza e São Paulo, à procura de provas quanto às declarações fornecidas em delação pelos irmãos Joesley e Wesley Batista, em 2017.

Como apurado pelo BNews, uma das empresas mencionadas pelos irmãos Batista é a Malagueta Cinema e Vídeo Ltda, que tem sede em Salvador, no bairro do Costa Azul. A companhia é tradicional nas campanhas políticas, e no documento homologado pela Justiça, que deu início às investigações, consta que ela teria, segundo Joesley e Wesley, recebido R$ 583 mil, nos dias 28 de agosto e 22 de outubro de 2014.

De acordo com a Polícia Federal, a ação desta sexta-feira se trata de mais uma fase da Operação Lava Jato Eleitoral, iniciada em 2018 e que apura condutas ilícitas supostamente praticadas por políticos, empresários e marqueteiros, que se utilizavam de notas fiscais frias para simular prestação de serviços publicitários.

Outra empresa baiana do ramo é a Cabuc Serviços de Computação Gráfica, apontada na delação como recebedora de R$ 422 mil, em 27 de agosto e 22 de outubro de 2114. Conhecida pelo nome fantasia de ABC Imagens, a empresa tem sede em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

Ainda segundo delação homologada pela Justiça, de autoria de Joesley e Wesley Batista, foram apontadas 19 empresas nas áreas de marketing político, pesquisas, publicidade, que supostamente receberam “propina na forma de pagamento de notas emitidas contra JBS sem contrapartida em prestação de serviços”, totalizando o montante de R$ 9,8 milhões.