PM preso sob acusação de agredir namorada e deixá-la nua no meio da rua, paga fiança e é liberado

Um policial militar fardado foi preso após ser flagrado agredindo a namorada, também PM, em Taguatinga, Distrito Federal. A vítima foi encontrada no meio da rua pela Polícia Civil e estava sem roupas.

Testemunhas presenciaram a agressão, que ocorreu na última quinta-feira (18), e culminou na prisão do policial. O homem, porém, pagou uma fiança de R$ 2 mil e já está em liberdade. As informações são do portal UOL.

O caso tomou grande repercussão após as imagens das agressões viralizarem nas redes sociais. O sargento Evaldo Barreto Ferreira, de 45 anos, foi levado para a 17ª Delegacia de Polícia do DF, e foi liberado após prestar depoimento e pagar o valor estipulado da fiança.

A namorada também foi ouvida, depois de ser atendida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML), onde realizou o exame de corpo de delito.

De acordo com o boletim de ocorrência, a mulher conta que ela e o namorado estavam no carro quando começaram a brigar. O motivo da briga seria a descoberta de que o PM trocava mensagens com a ex-esposa. Quando a discussão começou a acalorar, o homem pediu para que a namorada descesse do veículo, mas ela se negou. Nesse momento, ela teria tomado um frasco inteiro de calmantes e tirado as roupas.

Irritado com a situação, Evaldo teria começado as agressões, atingindo a namorada com socos e chutes, inclusive na cabeça. Testemunhas relatam que o sargento agiu com extrema violência.

“Ele era bem violento. Ficamos com medo de intervir e ele sacar uma arma. Alguns comerciantes levaram lençóis para tampar a moça, que estava nua”, disse uma testemunha, que não quis ser identificada. “O PM abria as pernas da mulher no meio da rua. Dizia que ela o fazia passar vergonha. Minha vontade foi de passar com o carro por cima dele”, acrescentou.

Em depoimento, Evaldo negou ter agredido a namorada, alegando que teria apenas imobilizado a mulher, pois ela estava “descontrolada”.

Em nota, a Polícia Militar informou que os fatos estão sendo apurados e que a arma do PM já foi recolhida. O advogado do acusado afirmou que só irá se manifestar após receber o processo judicial. A vítima não foi localizada.

Segundo a Polícia Civil, Evaldo vai responder por injúria, lesão corporal, dano e pelos termos da Lei Maria da Penha.

Yahoo Notícias