“Partidos que criticam a cobrança de IPTU prestam desserviço ao Estado Democrático de Direito”, diz Régis

Na reta final de campanha para a Prefeitura de Salvador, alguns candidatos resolveram partir para o tudo ou nada no horário eleitoral, disseminando fake news com ataques à atual gestão do prefeito ACM Neto.

“É lamentável que, no desespero de uma causa perdida, os adversários de Bruno Reis estejam apelando para a distribuição de notícias falsas, como a de que a gestão de Neto não cuidou da periferia. Todos sabem que ACM Neto dedicou 80 por cento do orçamento para os mais pobres”, afirma Sandro Régis, líder da bancada de oposição na Assembleia Legislativa, acrescentando que “nos últimos dias esses candidatos estão prestando também o desserviço de criticar a cobrança de IPTU, que é um instrumento legítimo de atuação do Estado Democrático de Direito”.

“É inconcebível o funcionamento de uma sociedade sem que haja o cumprimento de direitos e deveres. Por que não criticam também o IPVA, que vai para os cofres do Governo do Estado?”, questiona Régis, comparando a situação com a de um morador que, recém-chegado a um prédio, começasse a contestar um valor de condomínio definido em assembleia por todos os condôminos.

“Ora, assim como um prédio precisa dessa contribuição mensal para que os serviços essenciais sejam realizados, como por exemplo portaria 24h, abastecimento de água e gás, limpeza, coleta de lixo, entre outros, uma cidade também depende da arrecadação de impostos para que continue podendo realizar obras como as centenas de contenção de encostas, construção do novo Centro de Convenções, novos hospitais e unidades de pronto atendimento, novas escolas e creches, manutenção de ruas e avenidas, nova orla marítima, novas praças, enfim, essa infinidade de obras que vêm sendo realizadas em Salvador e que contam com a aprovação de 85% da população.