O que fazer na China?

O país mais populoso do mundo, com 1,4 bilhão de habitantes, tem se tornado cada dia mais interessante para o turismo. Durante muitos anos, a China permaneceu esquecida e afastada do restante do globo, cenário que mudou drasticamente nos últimos 20 anos.

Conhecida antes como sinônimo de “produtos de baixa qualidade e custo”, a República Comunista da China, hoje é a segunda maior potência mundial, atrás apenas dos EUA e com planos de superá-los até 2035. Para o turismo, o país é especialmente atrativo. Num mesmo lugar, é possível desfrutar de megacidades, uma natureza estonteante e uma cultura milenar, datada de mais de 3 mil anos! 

Muito além da Muralha

É verdade que quando pensamos nesse gigante asiático, a primeira coisa que nos vem à mente – além da superpopulação, claro – é mesmo a Maravilha do Mundo Moderno, a Muralha da China.

A atração, praticamente dispensa comentários e é parada essencial no roteiro de quem pretende visitar o país. No entanto, existem muitas outras opções para enriquecer seu repertório cultural e aproveitar as inúmeras atrações chinesas. O que muita gente se esquece, é que a China tem ⅔ de seu território composto de montanhas, platôs e colinas e com seus dois grandes Parque Nacionais, fotos e paisagens magníficas são garantidas nessa viagem!

Viajando no tempo

Além da Muralha da China, que levou milhares de anos para finalmente ser concluída, outra atração indispensável neste roteiro é mesmo A Rota da Seda. Historicamente este país também ficou conhecido por ser um polo produtor de um dos mais nobres e cobiçados tecidos de alfaiataria: a seda. Esse passeio reúne história, cultura e paisagens deslumbrantes. A atração mais marcante da Rota é o Forte Jiayuguan, que ficou conhecido como “A Boca da China” já que servia como porta de entrada e saída da Rota da Seda Chinesa.

Construído em 1372, o forte demarcava o fim da China mais Imperial, e por de trás do forte, terminava o que diziam ser o “mundo civilizado”. Segundo as lendas antigas, depois do Forte Jiayuguan, não havia nada mais do que deserto, bárbaros e demônios. Era o trecho mais controlado da Rota, pois quem quisesse entrar em território Chinês, deveria atravessar este Forte, que está localizado no trecho final da Muralha. Outros pontos turísticos indispensáveis deste roteiro certamente são:

  • As Montanhas Coloridas de Zhangye Danxia, que se assemelham a Montanha Arco-íris no Peru. 

  • Os Guerreiros de Terracota, estátuas esculpidas em tamanho real há mais de 2 mil anos.

  • As esculturas naturais do Parque Nacional de Yadan.

  • As Grutas de Mogao, conhecido como “Louvre Oriental”.

Na Atualidade

Além das inúmeras atrações naturais, a China também possui cidades ultramodernas conhecidas por sua magnitude e arquitetura futurista, mescladas com a história do lugar. Nesse passeio mais moderno, algumas cidades são indispensáveis, como Pequim que é a capital, Xangai, a maior cidade chinesa e claro Hong Kong, considerada uma das mais modernas cidades da Ásia.

E aproveitando o trecho, dê um passada por Macau. Conhecida como a “Las Vegas do Oriente”, Macau foi colônia portuguesa até 1999. E já que os cassinos no Brasil não são permitidos, e que Macau (assim como Hong Kong) não exigem visto para brasileiros, vale a pena dar uma passada por lá!