Município baiano tem o 2º maior valor gerado com produção agrícola no país

Os crescimentos da produção e do valor gerado pela soja afetaram positivamente o desempenho das cidades agrícolas do Oeste da Bahia. Entre 2019 e 2020, Formosa do Rio Preto e São Desidério estiveram entre os três municípios brasileiros com os maiores avanços absolutos no valor da produção agrícola, segundo a pesquisa da Produção Agrícola Municipal (PAM), do IBGE, divulgada nesta quarta-feira (22).

Nesse período, o valor da agricultura de Formosa do Rio Preto cresceu 78,3%, passando de R$ 2,1 bilhões para R$ 3,7 bilhões. O aumento absoluto, de R$ 1,6 bilhão, foi o 2º maior entre os municípios do país, atrás apenas do verificado em Maracaju/MS, onde o valor da produção agrícola avançou R$ 1,7 bilhão frente a 2019.

Já São Desidério apresentou o 3º maior avanço absoluto do valor agrícola no período, de R$ 3,2 bilhões em 2019 para R$ 4,6 bilhões em 2021, um aumento de R$ 1,4 bilhão (+44,6%).

Os crescimentos fizeram ambos os municípios subirem no ranking nacional dos maiores valores da produção agrícola.

São Desidério passou da 3ª para a 2ª posição entre os municípios brasileiros com o maior valor de produção da agricultura, ultrapassando Sapezal/MT (R$ 4,3 bilhões) e ficando atrás apenas de Sorriso/MT (R$ 5,3 bilhões).

O volume de soja produzido em São Desidério cresceu 15,0%, totalizando 1,5 milhão de toneladas em 2020, com um valor da produção de R$ 2,5 bilhões, 76,2% maior que o de 2019. O município passou de 6o a 3o maior produtor de soja do país.

O milho também teve uma safra significativamente maior no município, em 2020, chegando a 379,0 mil toneladas (+12,0% do que em 2019), com um valor de R$ 299,0 milhões, 75,7% acima do gerado no ano anterior.

Além disso, apesar da queda na produção do algodão herbáceo – que recuou 8,3% entre 2019 e 2020, em São Desidério, chegando a 543,7 mil toneladas -, o valor de produção gerado cresceu 9,3%, indo a R$ 1,6 bilhão. A redução da produção em 2020 tampouco impediu que São Desidério seguisse como o 2o maior produtor de algodão do país, tanto em quantidade quanto em valor, abaixo apenas de Sapezal/MT.

Com o 2o maior aumento absoluto do país no valor de produção agrícola, Formosa do Rio Preto subiu do 11o para 5o lugar no ranking nacional, entre 2019 e 2020. A escalada também foi puxada pelos desempenhos de soja, milho e algodão.

A produção de soja em Formosa do Rio Preto cresceu 23,5%, totalizando 1,6 milhão de toneladas em 2020, com um valor da produção de R$ 2,7 bilhões, 90,8% maior que o de 2019. Com isso, o município passou da 3ª para a 2ª posição entre os maiores sojicultores do país tanto em quantidade quanto em valor, ficando atrás apenas de Sorriso/MT (que produziu 2,3 milhões de toneladas a R$ 2,8 bilhões).

A produção de milho cresceu 52,2%, chegando a 264,0 mil toneladas em 2020, e teve valor 107,9% maior do que em 2019 (R$ 182,8 milhões). A safra de algodão herbáceo, por sua vez, aumentou 19,7%, atingindo a marca de 248,1 mil toneladas, com valor de produção de R$ 751,7 milhões, 36,1% maior do que em 2019.

Assim, em 2020, a Bahia seguiu como 3o estado com mais municípios entre os 50 maiores valores da produção agrícola do país. Seis deles são baianos: São Desidério (2º), Formosa do Rio Preto (5º), Barreiras (19º), Correntina (22º), Luís Eduardo Magalhães (32º) e Riachão das Neves (40º).

Metro 1