Movimentos em Ipiaú e Ibirataia visam diminuir valor do pagamento aos vereadores

camara-municipal-1

Longe vai o tempo em que vereador realizava “trabalho voluntário”, sem qualquer repasse financeiro. Mas afinal, quanto deve ganhar um representante do povo? Este tema tem frequentado o imaginário popular do brasileiro e repercute em várias cidades do interior do país, onde grupos de moradores tem se organizado em movimentos para disciplinar o valor do subsídio que deve ser pago aos vereadores.

A tendência também já chegou a Ipiaú, através de um movimento coordenador pelo jornalista e ambientalista Vicente Andrade. Ele tem promovido reuniões e abaixo assinados a fim de protocolar um projeto de lei popular visando reduzir o valor dos pagamentos dos edis.

Em Ibirataia, o movimento “Uma Cidade Melhor Para Viver” protocolou recentemente na Câmara Municipal  um projeto de lei que reúne mais de cinco por cento de assinaturas dos habitantes da cidade, de acordo está previsto em Lei, exigindo a diminuição dos subsídios do Legislativo. Para os representantes do movimento, o que é pago a um vereador não pode ser superior ao que é pago a um profissional da educação, por exemplo. A iniciativa agora deverá ser apreciada pela Câmara.

Reduzir o que é pago aos vereadores não é tarefa fácil, uma vez que os projetos precisam sempre passar pelo crivo dos próprios vereadores…

Aguardemos cenas dos próximos capítulos.

Ipiaú on Line