Morre, aos 90 anos, cientista baiano Elsimar Coutinho

Cientista faleceu em decorrência da covid-19

Internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, o médico Elsimar Coutinho, de 90 anos, morreu nesta segunda-feira, 17.

Elsimar Coutinho foi transferido para São Paulo após ser internado no Hospital Aliança, em Salvador, no dia 20 de julho, e apresentar um quadro de Síndrome Respiratória Aguda Grave, em decorrência da Covid-19.

Elsimar era natural de Pojuca, no interior da Bahia. Primeiro, se formou em farmácia e bioquímica, em 1951, na Universidade Federal da Bahia (Ufba). Em seguida, 4 anos depois, concluiu o curso de medicina, ainda da UFBA. Fez pós-graduação em Endocrinologia pela Universidade de Sorbonne, em Paris, na França, e no Instituto Rockfeller, em Nova York, EUA.

Como professor e pesquisador da Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia, após observar pela primeira vez os efeitos da supressão da menstruação, o médico revelou a criação do primeiro anticoncepcional injetável de uso prolongado.

Elsimar Coutinho também desenvolveu uma série de medicamentos que vão desde fármacos para facilitar a gravidez até outros que impedem o parto prematuro e aborto espontâneo, além de tratamentos de contracepção e de reposição hormonal em homens e mulheres, segundo o site da sua clínica. Ele também criou Centro de Pesquisa e Reprodução Humana – CEPARH, referência em reprodução humana.