Morre, aos 77 anos, o premiado publicitário Duda Mendonça

Foto: Divulgação / TV Clube Paraíba

O premiado publicitário baiano José Eduardo Cavalcanti de Mendonça, mais conhecido como Duda Mendonça, morreu nesta segunda-feira (16). A morte foi conformada às 4h40 no Hospital Sirio Libanês, em São Paulo, onde o publicitário estava internado.

Famoso por marcantes campanhas, Duda Mendonça revolucionou a publicidade política no Brasil trazendo novos elementos gráficos, musicais e conteúdos densos para os debates. Após largar o trabalho como corretor de imóveis começou a trabalhar em campanhas publicitárias. É dele a famosa “Óticas Ernesto, meu rapaz”, que associava conceitos da baianidade à venda de óculos. Em 1982, deu uma guinada para a publicidade política, comandando a campanha de Roberto Santos para o governo da Bahia (derrotada por João Durval) e de Eliana Kertész (vereadora com maior votação na história de Salvador).

Em 1985, organizou a campanha vitoriosa de Mário Kertész para prefeito. A campanha foi premiada com o ‘Top de Marketing de Melhor Campanha Política’ do país. Em 1992, Duda Mendonça repetiu o feito, coordenando a campanha de Paulo Maluf à prefeitura de São Paulo. Usou o mesmo coração da campanha de Kértesz e ganhou projeção internacional.

Em 1999, foi contratado para uma missão quase impossível. Tentar eleger o presidente argentino Carlos Menem, que enfrentava uma enorme crise de rejeição. A vitória veio e também o pedido que, na eleição seguinte, coordenasse a campanha de Eduardo Duhalde, sucessor à Casa Rosada.

Em 2002, viveu seu auge, ao coordenar a campanha que conduziu Lula (PT) à presidência do país, após três tentativas frustradas do petista (1989, 1994 e 1998). Ficou famoso o mote da campanha “Lulinha Paz & Amor”, idealizado por Duda, que mudou a imagem de Lula de um militante radical para um moderado conciliador.

Em 2012, Duda Mendonça foi absolvido no Supremo Tribunal Federal das denúncias do Mensalão. Duda Mendonça deixa 5 filhos, 2 enteados e esposa.

Metro1