Mineradora da África do Sul está em negociações para adquirir a Atlantic Nickel

A mineradora sediada na África do Sul Sibanye – Stillwater confirmou importantes negociações nesta segunda-feira (25), sem divulgar a avaliação em discussão, depois que o The Wall Street Journal informou que elas estavam ocorrendo.

Ela está em negociações para adquirir  a Atlantic Nickel, que opera a mina de Santa Rita, em Itagibá, uma das maiores minas de sulfeto de níquel a céu aberto do mundo, e a Mineração Vale Verde, que está desenvolvendo uma mina de cobre e ouro.

O acordo deve ser anunciado nos próximos dias, supondo que o negócio não seja inviabilizado, disseram pessoas a par do assunto.

As mineradoras estão correndo para garantir o fornecimento de metais que serão necessários para acompanhar o ritmo da crescente demanda por veículos elétricos. O níquel é um componente dos cátodos que compõem as baterias de íon-lítio usadas pela maioria dos fabricantes de automóveis.

A empresa informou neste mês que produziu os primeiros cristais de sulfato de níquel em sua planta de Kwinana, no oeste da Austrália. Espera-se que a instalação produza o suficiente do composto para fabricar 700.000 baterias de veículos por ano.

O negócio seria um triunfo para o atual proprietário das minas, a empresa de investimentos Appian Capital Advisory LLP, com sede em Londres, que adquiriu a mina Santa Rita da falência em 2018 e reiniciou a produção no ano seguinte. A mina tem uma capacidade de processamento anual estimada de 6,5 milhões de toneladas métricas de minério, de acordo com o site da Appian.

A Vale Verde está desenvolvendo a mina de cobre e ouro Serrote, no leste do Brasil. A construção do projeto, que Appian comprou em 2018 por US $ 40 milhões, está concluída e a mina garantiu as principais licenças necessárias para produzir cobre, de acordo com o site da Appian. A empresa de aquisição estima que a Serrote irá produzir concentrados contendo cerca de 20.000 toneladas métricas de cobre anualmente ao longo de 14 anos, uma vez que esteja instalado e funcionando.

Os fabricantes de baterias ainda respondem por apenas uma pequena fatia da demanda global de níquel – os produtores de aço inoxidável são os maiores compradores – mas os analistas esperam que isso cresça na próxima década, à medida que os veículos elétricos se tornarem mais populares.

Os preços do níquel até agora neste ano subiram 19%, para US $ 19.739 a tonelada métrica na London Metal Exchange. Analistas do Goldman Sachs Group Inc.dizem que podem atingir US $ 22.000 no próximo ano.

Muitos metais estão atingindo níveis recordes ou de vários anos, já que atrasos na cadeia de suprimentos atrapalham seu movimento ao redor do mundo e os preços mais altos da energia aumentam o custo para alguns produtores.

A Sibanye-Stillwater, sediada na África do Sul, cujas ações estão listadas em Joanesburgo e Nova York, é conhecida principalmente como produtora de ouro. Ela também extrai metais preciosos, como platina, paládio e ródio, que são usados ​​para remover poluentes tóxicos de gases de escapamento para atender aos rígidos padrões de emissões.

Em julho, ela concordou em adquirir a instalação de processamento hidrometalúrgico de níquel de Sandouville em Le Havre, o segundo maior porto industrial da França. A Sibanye-Stillwater poderia usar essa operação para processar níquel da mina Atlantic Nickel. Em fevereiro, adquiriu uma participação minoritária em uma empresa de lítio na Finlândia que produz outro composto usado em baterias de carros elétricos.

Além de obter exposição à crescente demanda dos fabricantes de baterias, a Sibanye-Stillwater também está equilibrando seu portfólio para uma combinação de condições econômicas. Os preços do ouro normalmente aumentam em tempos de incerteza econômica, enquanto o cobre e outros metais usados ​​na produção industrial são mais valiosos quando os negócios estão em alta.

Com informações de Genoveva Resende / N1 Sergipe