Menino de 7 anos pede carne em cartinha para o Papai Noel: “Meu sonho”

Nem carrinho e nem videogame. Diferente do pedido de outras crianças na época do Natal, o pequeno Hector, de 7 anos, compartilhou com o Bom Velhinho o verdadeiro sonho dele para a Noite Feliz. “Papai Noel, meu sonho é ganhar uma carne para passar com a minha família, tenho 7 anos, muito obrigado Papai Noel”, escreveu o menino em uma carta.

Hector decidiu fazer o apelo após passar meses de grande privação do alimento em casa, onde mora com a mãe, Patrícia Fros de Braz, de 35 anos, e o padrasto, Leandro Alves de Medeiros, e mais três irmãos. Eles moram em Arroio Grande, no Rio Grande do Sul. As informações são da revista Crescer.

A família sofreu os danos econômicos da pandemia: o único recurso financeiro que eles têm provém de bicos de Leandro e do trabalho da filha mais velha, Rosiane, de 19 anos, que cuida de uma idosa. Patrícia tem problemas de saúde e não pode fazer esforços.

“A gente compra (carne), mas agora é miúdos, ossos, essas coisas mais baratas”, contou a mãe em entrevista à revista Crescer. Ela também afirma que nunca passaram necessidade. “Foi no último ano que a situação apertou mesmo”, disse.

Com o Natal próximo, Hector, que gosta de churrasco, perguntou a mãe se eles poderiam fazer um no dia da data comemorativa. A resposta foi sincera. “Eu disse ‘filho não sei, pois as coisas estão muito difíceis. A carne aqui está muito cara mesmo’. Aí ele me disse: ‘já sei vou fazer uma carta para o Papai Noel e ele vai nos ajudar’. Ele é muito lindo. Com 7 anos e um coração enorme”, revelou a mãe.

Hector escreveu a carta, já que aprendeu a escrever sozinho neste ano. No entanto, a mãe esteve ao lado dele para auxiliá-lo. Patrícia diz que alertou o filho que Papai Noel talvez não atendesse o pedido porque o preço da comida estava alto, mas ele disse para ela ficar “tranquila, pois o Papai Noel sempre ajudava todo mundo, porque ele era Deus”.

A família, inclusive, está com a luz da casa deles cortada, já que, sem recursos suficientes, priorizaram a alimentação e deixaram de pagar algumas contas. A atitude da criança comoveu alguns conhecidos que decidiram fazer uma cesta de Natal para a família. Patrícia torce para que a situação melhore e que os filhos possam sempre ter o que desejam, pelo menos — e principalmente — na alimentação.

Correio Braziliense