Maia e Mourão criticam prefeito de Nova York por ironizar Bolsonaro

Aliados do presidente Jair Bolsonaro (PSL) se solidarizaram com o chefe do Planalto depois de manifestações irônicas do prefeito de Nova York, Bill de Blasio, no sábado (4). Via Twitter, o político norte-americano comemorou o cancelamento da viagem de Bolsonaro a Nova York, onde o brasileiro receberia o prêmio “Pessoa do Ano”, organizado pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o vice de Bolsonaro, Hamilton Mourão, também utilizaram a rede social para sair em defesa do brasileiro.

“O prefeito de NYC critica a intolerância de Jair Bolsonaro mas age da mesma forma.

Discordo em muitas coisas do presidente Bolsonaro na agenda de valores mas não há saída para os nossos desafios sem diálogo e respeito”, escreveu o presidente da Câmara.

“O desagravo público de Maia vem em um momento de melhora no clima entre os chefes da Câmara e do Planalto. Após farpas trocadas publicamente, algumas arestas foram aparadas nas últimas semanas.

Assim como Maia, Mourão também saiu em defesa do presidente brasileiro. “O prefeito Bill de Blasio surpreende quem tem Nova York como a cidade que universalmente acolhe pessoas de todas as origens, culturas, crenças e opiniões. Ufano, ataca Jair Bolsonaro sem conhecê-lo e ofende todo o Brasil, que é representado, democraticamente, por seu Presidente”, escreveu o vice.”

Ataques

Bill de Blasio tinha dito que os “nova-iorquinos não fecham os olhos para a opressão” e “nós expusemos sua intolerância”.”Ele (Jair Bolsonaro) correu.

Não fiquei surpreso – valentões geralmente não aguentam um soco”, tuitou o prefeito da cidade. Em outra postagem, ele disse que Bolsonaro ataca os “direitos LGBTQ e seus planos são destrutivos para o nosso planeta”.

“O senador Brad Hoylman também chamou de “vitória” o cancelamento da viagem presidencial. “Enfrentamos o presidente homofóbico do Brasil Jair Bolsonaro e vencemos. De acordo com as notícias brasileiras, ele se retirou do evento no Marriott Marquis e cancelou sua viagem aos EUA.

Gazeta do Povo