Lutador preso por envolvimento em morte de Marielle já postou fotos ao lado de Bolsonaro

Acusado de ter jogado no mar armas que teriam sido usadas no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista Anderson Gomes, o professor de artes marciais Josinaldo Lucas Freitas, o Djaca, gostava de postar fotos ao lado de políticos em redes sociais. Um deles é o hoje presidente da República Jair Bolsonaro (PSL), que aparece ao lado do lutador em dois registros. Djaca foi preso na manhã desta quinta-feira (3).

As fotos foram divulgadas pelo site da Veja, que afirma ter tido acesso ao material no final de julho. A publicação conta que procurou o lutador e seu advogado, Flávio Beiolchini, para questionar as condições em que as imagens foram feitas, mas eles não se manifestaram. Já hoje, a reportagem não conseguiu contactar o advogado.

A apuração policial sobre o caso indica que o inquérito da Delegacia de Homicídios, que culminou na prisão de Djaca, não apresenta ligação entre ele e Bolsonaro.

Além do presidente, o lutador também compartilhou fotos ao lado do vereador Marcello Siciliano (PHS-RJ), que já foi investigado no caso da morte da vereadora. Em outra foto, ele aparece com o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho do presidente.

De acordo com a publicação, Djaca é professor de artes marciais e vive e dá aulas na região de Rio das Pedras e Muzema, na zona oeste do Rio de Janeiro. A área, segundo a Veja, é ocupada por favelas dominadas por milicianos. Nas redes sociais, o lutador já chegou a postar panfletos que fazem propaganda de um serviço transporte apelidado de “Uber da milícia”.

ASSASSINATO DE MARIELLE

A vereadora Marielle e seu motorista Anderson foram assassinados em março do ano passado, quando ela saía de um evento no Rio de Janeiro. Além de Djaca, preso hoje, os suspeitos de executarem a vereadora também já foram presos (saiba mais aqui). Já as investigações sobre os mandantes do crime e a motivação continuam sem resposta.