Jogos da Copa América terão reconhecimento facial, portais de abordagens e policiais infiltrados

Os jogos da Copa América que serão realizados em Salvador contarão com o sistema de reconhecimento facial por meio de câmeras instaladas no entorno da Arena Fonte Nova, estações de metrô, aeroporto e em outros pontos da cidade. A novidade foi anunciada nesta quarta-feira (12) durante coletiva para apresentação do esquema de segurança montado para o torneio internacional. A capital baiana vai receber cinco jogos da competição.

De acordo com o secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, além das câmaras que permitem a identificação de pessoas procuradas pela policia, mais 190 aparelhos vão auxiliar o monitoramento no perímetro do evento, entre eles, drones que irão captar possíveis situações de crise.

“Já tivemos a experiência do Carnaval, depois a experiência na micareta de Feira, e fomos os pioneiros na aplicação do reconhecimento facial nesses grandes eventos e também vamos utilizar na Copa América. Já temos câmeras instaladas nas estações de metrô, nas estações de transbordo, aeroporto , na estação rodoviária e na Arena Fonte Nova já possuímos, no entanto, fizemos algumas adequações e vamos utilizar em nove portais de abordagens no entorno do estádio”, afirmou o secretário que enfatizou 35 prisões na Bahia resultantes do uso da tecnologia, a última ocorreu no dia 31 de maio em uma das estações do metrô da cidade.

Ainda conforme Maurício Barbosa, mais de 11 mil profissionais estarão à frente da tecnologia. Do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), policiais civis, militares, técnicos e bombeiros, além de representantes de forças federais e municipais, defesa civil e saúde, terão acesso às imagens. No total, 28 instituições públicas e privadas integram o a central. O veículo do CICC ficará estacionado na frente da Arena, recebendo as imagens do entorno e dentro do estádio.

Já a Polícia Civil atuará com policiais infiltrados nas áreas interna e externa da arena, em atividade semelhante à realizada no Carnaval de Salvador. Ao todo, foram investidos R$ 3 milhões no esquema de segurança para o evento esportivo, parte do valor será pago em horas extras para os 11 mil agentes, entre policiais e bomberios, que atuarão no campeonato.