Jequié: Operação Camaleão desarticulou grupo acusado de golpe que deu prejuízo de R$ 137 mil ao Bradesco

Foto: Divulgação / Polícia Civil

A Polícia Civil desarticulou um esquema de fraude contra banco praticado por criminosos em Jequié.

Denominada “Operação Camaleão”, as investigações tiveram início após a polícia receber uma requisição, encaminhada pela agência local do Bradesco, noticiando uma possível fraude, onde estelionatários realizavam diversas aberturas de contas bancárias com documentos falsos, via aplicativo, visando a contratação de empréstimos pessoais.

O método do golpe envolvia a posterior fragmentação dos valores recebidos em diversas outras contas, com o objetivo de ludibriar o descobrimento da conduta delituosa.

Segundo o banco, o prejuízo com a fraude já atinge o valor de R$ 137.278,00 (cento e trinta, sete mil e duzentos e setenta e oito reais).

Após o início das investigações por parte do Setor de Investigação da Coordenadoria Regional de Jequié, a equipe do delegado regional Rodrigo Fernando percebeu que, para abertura de todas as contas, foram apresentados diversos documentos de identidades, contudo a biometria facial em todas as propostas de abertura de contas pertencia a um único indivíduo.

Após um trabalho realizado de consultas em fontes abertas, bem como em diversas diligências em campo, a Polícia Civil obteve êxito em identificar a pessoa responsável pela abertura de contas.

De imediato, foi expedido um mandado de busca e apreensão e, após o cumprimento, a polícia realizou audiência com o acusado, que teria confessado de livre e espontânea vontade, na presença de seu advogado constituído, todo o esquema fraudulento, inclusive detalhando o modus operandi utilizado para falsificação dos documentos necessários para abertura das contas e tomada dos empréstimos.

No decorrer das investigações, foi verificado também que algumas pessoas seriam responsáveis por ceder suas contas,  facilitando a fraude.

Entre essas pessoas com participação no esquema fraudulento estão uma prima do acusado e sua companheira.

Ao final do procedimento criminal, quatro pessoas foram identificadas e indiciadas. Todos os indiciados irão responder pelos crimes de estelionato em concurso com associação criminosa.

Ipiaú Online / Ascom Polícia Civil