Irajuba: Nova dívida surpreende o município e prefeito pode não conseguir cumprir promessa de fim dos débitos em abril

 Após dois anos e três meses de mandato pagando uma conta extremamente cara, deixada por gestores anteriores na conta da prefeitura municipal de Irajuba, o prefeito Jerônimo Souza anunciou no final do mês de março e início de abril do corrente ano, o fim das dívidas do município com a união que impede a corte de fazer convênios federais e estaduais a promessa pode não conseguir se cumprir.

 O que o prefeito não esperava, era que uma nova dívida fosse aparecer para adiar este projeto. Avaliada em R$120.000,00 (cento e vinte mil reais), segundo o gestor, o débito é decorrente de precatórios referentes ao exercício do biênio 2006.

 Em tempo, o prefeito não comentou sobre a situação de quanto tempo ainda será preciso pra legalizar o CNPJ do município com a união.

 Na atualidade, a situação imposta para o executivo tem cooperado pra as mas derivadas situações de transtornos principalmente na folha de pagamentos dos servidores municipais, a exemplo dessa realidade, diante de uma análise no portal da arrecadação, exposto por um link do banco do Brasil e que dar acesso gratuito e aleatório para os cidadãos  mostram que apenas os fundos nacionais de Saúde (FUS), Educação (FUNDEB) e Simples nacional (SNA) não sofrem com os descontos absurdos por conta dessa dívida.

 Até a data de 25 de abril do ano de 2019, foram repassados para o município segundo o portal da arrecadação,  o valor líquido de R$946.317,52 (novecentos e quarenta e seis mil, trezentos e dezessete reais e cinquenta e dois centavos), desse montante, R$283.317,52 (duzentos e oitenta e três mil, trezentos e dezessete reais e cinquenta e dois centavos) foram descontados, sendo assim apenas R$663.000,000 (seiscentos e sessenta e três mil reais) estão disponíveis para o uso da máquina pública Irajubense, que tem um gasto de mas de 900 mil reais apenas na folha de pagamento de funcionários que está excedido em mais que 54%, que é o Índice de pessoal tolerado pelo tribunal de contas dos municípios.

 O retrato dessa dificuldade financeira, respinga atualmente na classe docente do município que a 12 dias estão com suas atividades paralisadas por questão da falta de pagamento, referente ao mês de março de 2019. O prefeito informou que nos próximos dias o MP estará intervindo no caso para estudar o que pode ser feito a fim de resolver problema. De acordo com a arrecadação do município oriunda do Fundo nacional de educação, apenas R$239.879,55 (duzentos e trinta e nove mil, oitocentos e setenta e nove reais e cinquenta e cinco centavos) estão na conta da prefeitura pra pagar a folha de uma classe que custa aos cofres meio milhão de reais, correspondendo a aproximadamente 68% da folha de todo o município.

Fonte:Blog Piraí notícias