Ipiauense recepciona trabalho de artista visual alemão em São Paulo

walmir

O estudioso das tradições afro brasileiras e presidente da Fundação Ilabantu, o ipiauense Walmir Damasceno, recebeu em São Paulo o artista plástico alemão Mário Pfeifer.

Mario Pfeifer é um artista visual alemão que produziu trabalhos em diferentes meios – filmes, livros e instalações – em países variados – Índia, Chile, Estados Unidos, África do Norte.

Seu trabalho com frequência aborda a engajamento cultural de uma comunidade a partir de uma perspectiva global. No Chile, por exemplo, ele se debruçou sobre uma comunidade indígena em vias de desaparecimento, os Yaghans, e as possibilidades de criar conexões entre seu passado, seu patrimônio cultural, e o mundo contemporâneo.

Em São Paulo, Mario está desenvolvendo – com auxílio do seu assistente, o cientista social e fotógrafo, Rodrigo Rodrigues – uma pesquisa sobre as diferentes manifestações religiosas da cidade de São Paulo. A sua pesquisa se pauta principalmente pelas conexões entre sociedade e religião, com especial interesse em comunidades religiosas que tenham uma visão progressista e que se pensem dentro do contexto da sociedade contemporânea.

Nesse sentido, o terreiro  Nzo Tumbansi apresenta especial relevância para a pesquisa de Mario Pfeifer, ligado a Fundação Cultural Berlin. Chamou a atenção do artista o papel de destaque de Walmir Damasceno, em estabelecer conexões com Angola na busca das formas originais do Candomblé que aqui ficou conhecido como Congo Angola, num processo que muitos antropólogos chamam de reafricanização – mas que o ipiauense preferiu definir como “acrescentação” em conversa com Mario.

A Nzo Tumbansi também se destacou entre outras diferentes instituições religiosas pesquisadas pelo artista pela sua capacidade ao lado do Ilabantu em se posicionar e se engajar politicamente como defensora e divulgadora das religiões de matriz africana e da cultura negra em geral.

Baseado nesse interesse, Mario Pfeifer está em contato com Walmir Damasceno para colaborarem na produção de um vídeo a ser filmado na Nzo Tumbansi nos próximos meses.

Ipiaú on Line / Ascom Ilabantu