Governo do Estado sanciona lei que aumenta vencimento dos professores em quase 16%

Foto: Secom-Ba

Os reajustes vão representar um impacto de R$ 119,5 milhões para os cofres públicos só em 2022

O governo baiano sancionou neste sábado (02) a Lei 14.467/2022, readequando os valores dos vencimentos do magistério público da educação básica.

A medida vai beneficiar mais de 17 mil educadores da ativa, entre professores e coordenadores pedagógicos, além de mais de 6.500 aposentados, que terão seus vencimentos adequados em função do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN).

A Lei, que passa a ter efeito retroativo ao dia 1° de março deste ano, vai viabilizar a concessão de reajustes de até 16,10%, a depender do grau e do padrão que o educador ocupa na carreira. O impacto da medida para os cofres públicos do Estado será de 119,9 milhões, somente este ano.

De acordo com a nova tabela de vencimentos, um professor do grau III do padrão P, por exemplo, passará a receber R$ 3.850,00. Já o vencimento de um professor do grau III-A, padrão P, será definido em R$ 3.903,02.

As melhorias na remuneração do funcionalismo estadual representam um grande esforço de caixa para o governo baiano, diante do quadro de dificuldades financeiras enfrentado pela Bahia e outros estados da federação nos últimos anos.

Além da adequação na tabela de vencimentos do magistério público, o governo concedeu em janeiro deste ano um reajuste linear de 4% a todo o funcionalismo público estadual. Para completar, na última folha de pagamento (mês de março), mais de 156 mil servidores, aposentados e pensionistas estaduais foram contemplados com acréscimos de até R$ 300 no vencimento básico que impactam em outras gratificações, acumulando ganhos de até 24,04% nos vencimentos.