Funcionário de empresa de colchões morre esmagado por pilha de madeiras no Rio de Janeiro

Um funcionário da empresa Ortobom morreu atingido por duas pilhas de madeira na fábrica da empresa em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, na manhã desta quinta-feira. Deivid Vieira da Silva, 40 anos, acompanhava o transporte do material quando ele despencou de uma altura de cerca de três metros, sendo esmagado pelas duas pilhas que tem cerca de 250 chapas de madeira cada. As informações são do O Dia.

Bombeiros do Quartel de Nova Iguaçu chegaram a ser chamados na fábrica, às 7h13, mas Deivid morreu na hora. A vítima, que seria encarregado do setor de almoxarifado, completou 40 anos na última terça-feira e preparava a festa dos filhos gêmeos, que farão dois anos semana que vem.

Ele era casado e tinha um terceiro filho, que teria nove anos.“Tinham duas pilhas a mais de três metros de altura, caiu em cima dele, o corpo dele dobrou. Aqui não tem enfermeiro, não tem segurança nenhuma. Retiramos as pilhas de cima dele, tentamos salvá-lo, mas ele não tinha mais pulsação. Ele dava a vida pela empresa”, disse um funcionário que trabalhava com Deivid.

Os funcionários criticam a postura da empresa, que mandou os empregados continuarem trabalhando e fizeram ameaças, mesmo com o corpo de Deivid ainda no local.

“O gerente geral, José Antônio, maltratou a gente, disse que poderíamos sair, que a porta era serventia da casa. Outro gerente, Cristiano, mandou continuar com a produção, como se nada tivesse acontecido”, relatou o trabalhador, que preferiu não se identificar. “Era meu amigo, me treinou quando eu entrei. Era super gente boa, família. É uma tragédia, está todo mundo abalado”, completou.

A Polícia Civil foi acionada para a fábrica após a morte e realiza um trabalho de perícia no local.

Voz da Bahia



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *