Ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro deixa a prisão

O ex-presidente da OAS Léo Pinheiro foi solto nesta terça-feira (17), após ficar três anos preso em Curitiba-PR. O executivo conseguiu deixar a carceragem da Polícia Federal paranaense dias depois de seu acordo de delação premiada ser homologado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin.

A informação foi divulgada pela colunista Bela Megale, do jornal O Globo. De acordo com a colaboração do ex-presidente da empresa, ele ficará preso em casa com monitoramento de tornozeleira eletrônica. Um familiar foi a Curitiba buscar Léo. Ele terminou a audiência com o juiz da execução penal e agora está colocando a tornozeleira eletrônica.

O executivo seguirá para São Paulo, onde mora sua família. Léo Pinheiro foi preso duas vezes pela Lava-Jato: a primeira em novembro de 2014, quando passou cerca de quatro meses na prisão. A segunda foi em setembro de 2016, e, desde então ele está detido. Ainda de acordo com a colunista, o acordo do ex-presidente da OAS é um dos mais extensos firmados com a Procuradoria-Geral da República (PGR) no âmbito da Lava-Jato. A tratativa tem 109 anexos envolvendo políticos de diversos partidos, como PT, PSDB e DEM.

Metro 1