Evento-teste para retomada do setor de entretenimento em Salvador é adiado

O presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), Isaac Edington, disse ao G1, que o evento-teste para a retomada do setor de entretenimento em Salvador, com data anunciada pela prefeitura da capital baiana para o dia 29 de julho, foi adiado. A informação foi revelada com exclusividade no podcast Eu Te Explico desta segunda-feira (19).

“A gente acha que pela complexidade que é esse evento, eu acho muito improvável que isso [evento-teste] seja no mês de julho”, disse Isaac Edington. Segundo o presidente da Saltur, a realização do evento-teste está condicionada aos ajustes finais do protocolo, que está sendo analisado por equipes da prefeitura.

“Acho que assim que tiver tudo ajeitado, assim que tudo isso tiver validado pelos órgãos competentes, e tem todo interesse da gente está debruçado em cima disso, a gente deve anunciar juntamente com as entidades”, contou.

Ao ser perguntado sobre a nova data do evento-teste, Isaac Edington afirmou que não tem como prever uma data, mas que a iniciativa deve acontecer entre agosto e setembro.

“A possibilidade da data do evento teste é difícil dizer agora, mas a gente acredita que provavelmente entre agosto e setembro. Eu acho que se tudo avançar positivamente é bem possível que ainda seja em agosto, mas aí é um pouco do meu estilo de trabalho, eu não posso estar divulgando algo que eu não tenho controle”, contou.

“Eu não posso já estabelecer uma data, mas tudo nos leva a crer que acontece em agosto ou no máximo até setembro, tudo sendo validado pelos órgãos competentes isso seja realizado”.

Discordância com o governo

Em 5 de julho, a prefeitura de Salvador anunciou que o primeiro evento será no Centro de Convenções da capital baiana e terá público de 500 pessoas, que já tenham recebido pelo menos a primeira dose da vacina contra o coronavírus.

Após liberar ‘fase verde’, prefeito de Salvador estuda protocolos para eventos: ‘Fundamentais para a economia’
A prefeitura informou ainda que um segundo evento-teste será feito com um público maior, em uma das três ilhas de Salvador.

Um dia depois, o governador da Bahia, Rui Costa, disse que não achava adequado a realização do evento-teste para 500 pessoas em Salvador no dia 29 de julho.

“Se acabamos de pedir para que as pessoas não façam eventos juninos, como é que agora vamos juntar 500 pessoas ou mil pessoas para fazer um evento-teste? Então, não acho adequado, a mensagem não é boa nesse momento”, argumentou.

No podcast Eu Te Explico #18, o presidente da Saltur disse que a prefeitura começou a trabalhar na ideia da realização do evento-teste após ser procurada por entidades do setor de entretenimento, com uma proposta de protocolo. Edington acredita que o grupo deve procurar o governo do estado para apresentar as ideias no futuro.

“Nós fomos procurados pelas entidades de organização de eventos com essa proposta, que nós vimos com muito bons olhos, e eu imagino que é possível que as entidades devam acionar o governo de estado, uma vez que eles fazem parte do contexto na segurança pública”, disse.

“Eu acredito que as entidades devam também procurar o governo, cabe a eles fazerem esse convite, apresentar esse projeto, eu acho que assim que ele seja validado”.

Ofícios do Ministério Público

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) encaminhou, por meio do Grupo de Trabalho para enfrentamento do novo coronavírus, no dia 7 de julho, dois dias após o anúncio do evento-teste, ofícios à Prefeitura de Salvador e à Divisão Epidemiológica da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Divep/Sesab) solicitando informações técnicas a respeito da festa.

Nos ofícios, o MP pediu informações detalhadas sobre o planejamento do evento, sobre a forma de seleção dos voluntários e monitoramento no pós-evento: se permanecerão em quarentena, a periodicidade de sua testagem, se será exigido o uso de máscaras durante sua realização, e se haverá distanciamento ou outras medidas.

O MP questionou também se o “teste” foi autorizado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep).

Para a Divep, foi solicitada uma análise da viabilidade técnico-sanitária do evento. O MP questionou a possibilidade da realização do “eveto-teste” diante do cenário epidemiológico, com disseminação de variantes do coronavírus possivelmente mais transmissíveis, e das consequências para a população baiana.

O Grupo de Trabalho destacou que estão em vigor normas restritivas, tanto estaduais quanto municipais, que devem ser observadas, sobretudo pelo Poder Público, a exemplo da restrição de locomoção noturna e a suspensão de eventos e atividades em todo o território baiano, independentemente do número de participantes, ainda que previamente autorizados.

O órgão solicitou que a prefeitura de Salvador e o Divep dessem resposta no prazo de cinco dias úteis.

Em nota, a prefeitura de Salvador informou que quanto à definição dos protocolos para a retomada dos eventos na capital baiana, a iniciativa ainda está em fase de planejamento e conceituação.

A prefeitura afirmou que as entidades representativas do setor – ABAPE, ABRAPE, ACEMA e APE* – apresentaram ao órgão uma proposta com o formato e todos os protocolos necessários para a realização do evento de forma responsável.

O órgão ressaltou que ainda avalia os protocolos apresentados e que o evento-teste vai contribuir para retomada das atividades de forma gradual e segura.

Confira informações sobre o evento-teste que já foram revelados pela prefeitura:

A proposta da prefeitura é que o evento-teste aconteça no Centro de Convenções de Salvador, reunindo cerca de 500 pessoas em área aberta;
Segundo a prefeitura, todos os convidados serão previamente testados e deverão estar, no mínimo, com 20 dias de comprovação da aplicação da primeira dose da vacina contra o coronavírus, entre outras medidas de prevenção;

Outros detalhes serão apresentados assim que todos os itens forem avaliados pelo corpo técnico da prefeitura.

Sonho de grandes eventos

Durante entrevista ao Eu Te Explico, Isaac Edington revelou que sonha diariamente com a retomada de grandes eventos como o Festival da Virada e o Carnaval de Salvador.

“Eu sonho diariamente para que a gente possa estar retomando as atividades, que são muito importantes para a cidade de Salvador, retomando com o Festival da Virada”, disse o presidente da Saltur.

“Para que a gente possa, mais uma vez, fazer o melhor evento do Brasil, mais uma vez podemos fazer o melhor carnaval do planeta que é o carnaval de Salvador”, completou.

No dia 17 de maio deste ano, o prefeito de Salvador, Bruno Reis, afirmou que fará todo o esforço possível para que o carnaval de 2022 seja realizado na capital baiana.

Cinco dias antes, o governador Rui Costa já havia declarado que acha ser possível a realização do carnaval de Salvador em 2022. Para o governador, a população baiana, e brasileira como um todo, já deverá estar vacinada até o fim do ano, o que permitiria a realização da festa momesca.

Isaac Edington revelou que o sentimento da prefeitura é de otimismo para que vacinação avance na capital baiana e que o órgão possa voltar com a realização dos grandes eventos.

“Nesse momento pós-pandemia, estamos desejosos para que isso aconteça. Estamos trabalhando, estamos até otimistas em relação a que tudo isso aconteça, que tudo avance, a vacinação avance, que a gente receba a quantidade de vacinas adequada, que você sabe que uma vez que a gente tenha a vacina, as coisas funcionam muito rapidamente”, disse.

“Que a gente possa vacinar a população e que possamos sim voltar com toda força e fazer mais uma vez um verão inesquecível, um Festival da Virada inesquecível e o carnaval inesquecível para todos”, concluiu.

G1