Empresas esperam autorização do governo para compra de 33 milhões de vacinas de Oxford

Empresas privadas brasileiras pediram ao Ministério da Saúde uma autorização para a importação de 33 milhões de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca.

A expectativa é que a pasta decida quais são as condições para a liberação. A negociação prevê metade dos imunizantes para o Sistema Único de Saúde (SUS) e a outra para os funcionários e familiares das companhias.

Ao menos 12 empresas estão no plano: Vale, Gerdau, JBS, OI, Vivo, Ambev, Petrobrás, Santander, Itaú, Claro, Whirlpool e ADN Liga. É esperado que mais sejam inclusas.

As 33 milhões de doses são a quantidade disponibilizada pela farmacêutica que produz a vacina. Elas chegariam ao Brasil em fevereiro. Os empresários estão em negociação com a farmacêutica Dasa.

Integrantes das empresas afirmaram que o governo indicou que liberaria a importação. No início do mês, porém, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, havia dito que as empresas poderiam comprar vacinas apenas depois que as demandas do SUS fossem supridas.

Metro1