Em despedida, presidente diz que sentirá muita falta do “Fora Temer”

Em uma despedida de seu grupo de ministros, o presidente Michel Temer fez nesta quarta-feira (19) uma espécie de desabafo das dificuldades que enfrentou nos quase três anos à frente da Presidência da República. Na última reunião de seu mandato com a equipe de governo, promovida no Palácio do Planalto, ele lembrou da greve dos caminhoneiros e das acusações feitas pelo empresário Joesley Batista, que acabaram gerando duas denúncias contra ele barradas na Câmara dos Deputados.

Em um discurso de quase 40 minutos, no qual citou nominalmente cada ministro e agradeceu as contribuições, ele acusou parte da imprensa de ter feito um “empenho extraordinário” para tentar derrubá-lo e disse que a reforma previdenciária não foi aprovada porque foi vítima do que chamou de “trama”. Ele afirmou ainda que o seu governo “sofreu à beça”, mas que conseguiu enfrentar as adversidades e que sua equipe é “vitoriosa”. Segundo ele, prova disso, é que 16 ministros foram convidados para atuar nos governos federal e estaduais. Só em São Paulo, João Dória chamou seis.

Aratu Online