Em ano eleitoral, José Carlos Britto de Lacerda crítica falhas no sistema democrático

A Grande Farsa

Ciência política e a imprensa dizem que nós vivemos em uma democracia. Isto apenas porque parcela de nós vai às sessões eleitorais, para eleger candidatos que os partidos políticos nos “enfiam goelas ”abaixo”. E cada um de nós é obrigado a votar!

Isto acontece bienal e alternadamente para “escolha”, numa época, de prefeitos, vices prefeitos e vereadores e, em outra, presidente, vice presidente da República, governadores, deputados estaduais, federais e senadores.

Nenhum de nós, os mais interessados, tem a oportunidade de fazer-se ouvir, de opinar, na escolha de candidatos, acabando em seguida por ser, o eleitor, “bombardeado” pela propaganda e a maioria caba acreditando na existência ou na materialização de “anjos”, de “apóstolos” e, até, de “demônios”. E as decepções repetem-se, as pessoas, a sociedade, o povo sofre, reclama, mas nada muda, tudo volta a acontecer.

A quem culpar? Nós, sociedade, povo, somos os culpados. Omitimo-nos, calamo-nos e deixamos que eles por décadas, até por séculos, manipulassem tudo, “fabricassem” Constituição e leis destinadas a satisfazerem os seus interesses.

De que nos vale terem inseridos, no parágrafo único ao artigo primeiro da atual Constituição Federal que “todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição”, quando eles exercem o Poder ao seu bel prazer, em proveito próprio, sem sequer se preocuparem se o povo concorda com o que fazem?

Democracia, que em Grego queria dizer “povo no governo”, teve sua significação alterada no Brasil, com o curso das décadas, para “governo no povo” e nos transformou em boiada ou massa de manobra.

Nós, “o povo”, não podemos modificar, por qualquer forma, a Constituição. Somente o presidente da República, o Congresso Nacional e as assembleias legislativas dos estados (estas, com muita limitação) podem apresentar qualquer proposta de Emenda a ela. Foi assim que os “notáveis”, entre eles políticos, na maioria mal intencionados, deixaram escrito no artigo 60 da chamada Constituição cidadã de 05 de outubro de 1988.

E vocês e eu temos que nos curvar… até quando?

José Carlos Britto de Lacerda é advogado sediado em Ipiaú