Economia: Como ter em Ipiaú um sistema alternativo de transporte tipo Uber?

Com a persistência da crise Econômica Cacaueira, a renda per capta média dos ipiauenses, foi reduzida a 1/3 da média nacional. E portanto, precisamos mais que nunca de Inteligência Coletiva, na resolução de nossas demandas, preferencialmente com uso de novos arranjos racionalizados e soluções socioeconômicas sustentáveis, para começarmos a sair do buraco.  

Uma saída possível é o Empreendedorismo Social, baseado na ação individual do cidadão que pense, haja, incentive, pratique o compartilhamento e objetive resultados agregados, vantajosos a coletividade; desde que tenhamos a inteligência em deixar de lado as disputas individuais, relativistas, socioeconômicas menores.

Em primeiro, precisamos abrir mão do vício neural da velha politicagem miúda, tosca, enfadonha, nas disputas patrimonialistas; já denunciadas a décadas por Euclides Neto, em seus célebres livros, atuações pessoais e/ou públicas.

Afinal, a era do Reino da Xuxa “já é passado”. No Brasil de hoje, é crime praticar o que a Estrela (fabricante líder de brinquedos, hoje a caminho da bancarrota) veiculava nas suas peças publicitárias, no horário do programa infantil de TV, ao colocar uma criança inocente, para dizer repetidas vezes: – Eu teeeenho, você não Teeem, eu teeeenho, você não Teeem!

Dentre tantos obstáculos, Ipiaú ainda enfrenta o problema da falta de emprego e renda, escassez de vagas para estacionamento em diversos pontos comerciais da cidade, (que muito tem afetado o desempenho do comércio de rua) em especial, no centro da cidade, Cinquentenário, Praça dos Cometas, Sapo… E ainda temos em Ipiaú, muitas casas e estabelecimentos comerciais em padrão arquitetônico antigo sem garagem e/ou vagas de estacionamento.

E ao falar em garagem e inovação, é bom lembrar que Steve Job e Bill Gates, não nasceram em garagens; e ainda, reafirmar que filho de parteira também pode ser inovador!

A QUESTÃO CENTRAL: VOCÊ SABE QUANTO CUSTA POR ANO TER UM VEÍCULO PRÓPRIO?

O ipiauonline fez as contas e traz para você uma análise preliminar acerca da questão.

Abaixo, 3 simulações, considerando:

  1. Ao tirar o dinheiro da poupança e comprar um veículo, você deixará de receber os juros;
  2. A cada ano o veículo depreciará e perderá valor. Ao comprar um veículo zero km, por 60 mil, por exemplo, daqui a um ano, só valerá em média R$ 49,8 mil;
  3. Manutenção básica (considerada sem ocorrência e acidentes graves);
  4. Rodando em média, cerca de 20 km por dia;
  5. Entre outras despesas mais comuns.

A simulação foi feita para 3 tipos característicos de veículo que normalmente temos em Ipiaú:

Carro 1 – Modelo básico, seminovo na faixa de R$ 35 mil, pagando seguro e licenciamento;

Carro 2 – Caminhonete seminova tipo Ranger, na faixa de R$ 85 mil, pagando seguro e licenciamento;

Carro 3 – “Pau velho”, na faixa de R$ R$ 8.690,00, que não pague seguro nem licenciamento, mas tenha uma manutenção maior, necessária;

Ressaltar, que um veículo velho, chega a custar por ano 138% do valor do veículo. (custos explícitos e implícitos).

Hoje em Ipiaú, temos cerca de 13.500 veículos cadastrados no Detran (motos e veículos em geral). Você já imaginou quanto isto custa no agregado da cidade, todo ano?

IMPORTANTE: No estudo acima, não foi considerado um dos maiores custos numa aquisição de veículo, quando financiado. Situação em que muitos adquirentes arcam com custos totais, diretos e indiretos (juros, seguros embutidos, comissões, taxas…) o equivalente a elevar o preço do veículo financiado em 60 meses, por exemplo, ao montante de 2,35 a 3 vezes o preço original do veículo (conforme taxa e penduricalhos embutidos). Veículo este, que ao final não valerá muitas vezes 1/4 do valor total dispendido no financiamento; afora os gastos operacionais e de manutenção.

A Uber, não conseguiu ainda entrar em pequenas cidades. Porém, já há disponível no mercado diversos aplicativos similares prontos (APPs de mobilidade terceirizada), capazes de viabilizar a operação do sistema conferindo inteligência na intermediação da terceirização do transporte urbano, aos quais até os atuais taxistas e moto taxistas, também poderão ser beneficiados. (se forem capazes de aceitar a inteligência embutida no sistema a favor da coletividade, claro).

Entendam, em Ipiaú há entre residências, estabelecimentos comerciais, praças e prédios públicos, mais de 15 mil pontos de partida, ou destino; e os taxistas e moto taxistas, ficam parados nos pontos esperando a corrida de origem se iniciar em seu ponto, rumo a um destino final, e uma vez deixado o cliente no seu destino, ele terá que voltar “batendo lata” para o ponto inicial. Ora, desta forma, cada corrida custará ao taxista, repassado ao cliente, no mínimo o dobro! Com um APP otimizando as duas pontas, o taxista não roda predominantemente vazio, o consumidor sai de onde mais lhe interessa, e ambos são encontrados e reunidos pelo sistema, no itinerário mais adequado e óbvio possível. (Inteligência digital artificial na veia). Daí, faz-se a política do ganha-ganha.

Uma opção sócio comercial inteligente, seria implantar o sistema via cooperativa ou associação de microempreendedores, ou, o poder público local, de forma consorciada microrregional, produzir o Termo de Referência, fazer a devida concorrência e adotar um sistema, disponibilizando a sociedade, além de gerencia-lo, a fim de reduzir o gasto da cidade com mobilidade urbana e/ou de carga, gerando emprego e renda, melhorando o equilíbrio da balança comercial local, além de amenizar muito a questão da falta de estacionamento nos centros comerciais, transportando confortável e elegantemente pessoas a seus destinos, inclusive de forma muito mais eficiente e barata, a hospitais, supermercados, feiras, cargas e “et coetera”.

Na Europa, Japão, Canadá, Austrália e EUA, inclusive aqui bem perto de nós, como é caso dos estudantes da UFBA, Unicamp, USP, muitos jovens, ricos inclusive, já fizeram estas contas e optaram em não ter mais um carro; (obsessão de países subdesenvolvidos pela propriedade a qualquer custo), num país em que muitos ainda consideram subliminarmente, que o veículo o deixará mais poderoso, viril, inteligente, bonito ou interessante. Importante registrar, que em diversos países da Europa, o poder público tem uberizado parte da sua estrutura operacional em geral, a fim de reduzir os custos e disponibilização de serviços públicos de qualidade no lugar e hora que o cidadão precise. E ainda, registrar que a prefeitura de São Paulo, já está se desfazendo de veículos próprios e contratando serviços de mobilidade inteligentes “on-demand” para uso dos seus funcionários, usarem em serviços.

Os mais interessados: Assistam ao depoimento dum motorista da Uber, acessando o link: https://www.youtube.com/watch?v=gGq3oKhAkj8

Para aqueles que querem conhecer uma opção de software alternativo, já disponível, capaz destes serviços, acesse o link: https://www.youtube.com/watch?v=ND8qzehnbXI

A plataforma acompanha um sistema de gestão capaz de gerenciar estes serviços. Veja acessando o link: https://www.youtube.com/watch?v=xsO93tjuumg

Se bem entendido, profissionalizado, dimensionado, regulado e implantado, o sistema inteligente de compartilhamento de propriedades e custos poderiam sim, ser uma excelente opção, de solução sustentável, para viabilizar a aquisição conclusão e operação do Edifício Comercial Santa Paula, para o financiamento da implantação dum Polo Fruticultor, dentre tantas outras possibilidades e oportunidades socioeconômicas, para Ipiaú e demais cidades da microrregião.

Em especial, para cidades com altas demandas sociais e baixo poder aquisitivo; além de ser adequado às práticas vigentes das nossas prefeituras microrregionais, que tem dificuldade em obter receitas próprias (ITR, IPTU, ITBI, ISS-QN, TAXAS e COBRANÇA de MELHORIAS) girando escandalosamente, por voltas dos 6% do Orçamento Público Municipal anual, quando, em pleno 2019, ainda estão completamente na mão dos governos federal e estadual, e portanto, vítimas da politicagem e graus de financeirização bancária nacional exacerbada.

INFELIZMENTE, MAS AINDA HOJE NO BRASIL, O QUE TEM OCORRIDO É QUE OS POLÍTICOS E MALANDROS ASSOCIADOS, USAM O PODER DO ESTADO, PARA GANHAR NO PARTICULAR E SOCIALIZAR O PREJUÍZO!

 

PARA AQUELES QUE DESEJAREM AINDA, DESENVOLVER UM SISTEMA APP PRÓPRIO TIPO UBER, ABAIXO UM EXCELENTE ESTUDO COM O PASSO A PASSO DA EMPREITADA.

Segundo Vitor Galante, analista de Inteligência Comercial e Marketing, o Lyft, Cabify, 99 Taxi, entre outros, são aplicativos semelhante ao Uber, que estão ganhando espaço no mercado de aplicativos de mobilidade urbana. Alerta ainda, que o modelo de negócio que foi desbravado pela Uber, mas que agora pode ser conquistado por pequenas cidades, com APPs alternativos ou próprios, inclusive.

A Uber consagrou a filosofia de serviços de táxi alternativo e o expandiu com uma abordagem on-demand. A Uber criou o aplicativo para conectar motoristas ociosos a passageiros necessitados de transporte. Os passageiros usam o aplicativo para encontrar motoristas ao seu redor, e os motoristas usam o aplicativo para encontrar passageiros que estão dispostos a pagar por seus serviços de condução, com um grande diferencial na formação de custos para o passageiro e para o motorista, ao otimizar o tempo de ambos. A lógica da satisfação é não deixar o cliente esperando e ao motorista empreendedor, não bater lata vazia. Toda esta inteligência digital, foi viabilizada pelo grau de conectividade atual, da população brasileira.

A ideia deste APP era simplesmente brilhante. Desde que foi lançado, em 2010, o aplicativo ficou popular muito rapidamente, porque este tipo de serviço possui uma demanda muito alta. E cada vez mais é uma opção a quem quer conforto e inteligência no intuito de redução do custo final de possuir um veículo.

Nesse artigo, Vitor Galante vem ensinar tudo o que você precisa saber, na pequena cidade, para criar seu próprio aplicativo do tipo Uber.

O que é a Uber?

Passageiros veem a Uber como um serviço de táxi, motoristas como uma oportunidade de dinheiro extra, empresários como um modelo de negócio. Então o que de fato é a Uber? 

Ela é tudo isso e muito maisCom o agravante de cobrar 25% sobre o valor das corridas e uma taxa mínima considerada muito alta, relativamente ao baixo valor das corridas. Fato este, que vem provocando a clandestinidade do próprio motorista cadastrado, que desliga o sistema, quando consegue acessar os clientes sem a ajuda do APP.

O serviço da Uber cobre 375 cidades mundo afora, e provém um serviço que funciona 24 horas por dia, conecta passageiros e motoristas através do seu aplicativo nas plataformas Android e IOS, usando os avanços da capacidade GPS do telefone e com uma abordagem prática totalmente “sem dinheiro”, na maioria das vezes.

Com base na disponibilidade, há vários níveis nos serviços oferecidos pela Uber, são eles:

UberX – opção com o melhor custo benefício;

Uber Black – veículos mais elegantes sempre na cor preta;

Uber SUV – para situações onde o espaço importa;

Uber LUX – veículos de luxo;

OBS.: Zap Zap – de Moto taxista de Ipiaú, também exerce precariamente este papel.

A Uber conquistou uma grande parte do mercado com uma interação simples entre usuário e aplicativo. Agora, tanto motorista como o passageiro sabem a localização um do outro fazendo com que as preocupações como tempo de chegada ficassem no passado. O segredo desse serviço pode parecer escondido, mas vamos mostrar logo abaixo o que há debaixo do véu.

Como o aplicativo Uber funciona?

O Aplicativo Uber funciona em 5 simples passos.

1 – Pedido. O cliente pede um veículo instantaneamente ou agenda uma corrida pelo aplicativo. Os detalhes são enviados para o motorista mais próximo.

2 – Aceitação. O motorista pode tanto aceitar como recusar a corrida. Se ele rejeita, o pedido é enviado para outro motorista.

3 – Viagem. O cliente determina o local de embarque e o ponto de chegada. Sabendo previamente quanto vai custar a viagem e o tempo estimado.

4 – Pagamento. O pagamento é feito pelo aplicativo, uma interação sem dinheiro. Alguns aplicativos similares ao Uber oferecem opções de pagamento em dinheiro.

5 – Avaliação. É uma parte importante da lógica de negócios da Uber, pois aumenta a confiança na empresa e nos serviços oferecidos.

Se você pensa em criar um aplicativo semelhante ao Uber, você deve lembrar que o Uber atualmente consiste em dois apps separados, cada um com sua funcionalidade, são eles:

Uber  Para passageiros.

Uber Driver – para motoristas

Recursos do aplicativo Uber.

A lista de recursos de um aplicativo é um grande fator no custo para o desenvolvimento. Alguns dos recursos da interface do passageiro e do motorista são os mesmos, mas cada um possui características essenciais.

Recursos do aplicativo para passageiros:

Registro/login;

Interface da Viagem;

Calculadora de preço:

Pagamentos;

Notificações Push;

Mensagens, Avaliações e Reviews, Histórico das viagens.

Recursos do aplicativo para motoristas:

Registro/perfil/status;

Agendamento;

Notificações Push;

Navegação;

Mensagens, custo da viagem, relatórios e suporte.

Para avaliar todos os processos entre motoristas e passageiros é necessário um painel administrador. Este, por sua vez, se encontra numa interface web (desktop) que facilita a interação com os clientes, a administração de rotas, pagamentos e outros dados.

Como criar um aplicativo semelhante ao Uber?

Se você quiser desenvolver um aplicativo semelhante ao Uber, você precisa decidir o serviço que você deseja entregar. Vai ser outro aplicativo de transporte particular ou você vai fazer algo melhor com ele? Depois de descobrir isso, você precisa escrever um plano de negócios. Este é o plano que descreve a estrutura do aplicativo, as despesas de inicialização, as despesas operacionais e potencial de renda projetada.

Um plano de negócios não é bom apenas para o planejamento de como seu aplicativo vai ser feito e distribuído. Ele também será algo que você pode mostrar a investidores e agentes de crédito quando você for à procura de fundos de inicialização.

Principais recursos tecnológicos dos aplicativos semelhantes ao Uber:

No geral o aplicativo possui 3 características principais:

Geolocalização;

Notificações Push;

Pagamento integrado.

Além dos recursos citados acima, o aplicativo precisará ter alguns recursos extras. Por exemplo, ele precisa ter uma tela de registro simplificada, onde os novos usuários podem se inscrever. Independente da escolha, o aplicativo precisará coletar as informações de pagamento.

Sobre a Geolocalização:

Como o aplicativo tratará de endereços e locais, os motoristas precisarão de um bom sistema de GPS implementado no aplicativo. Isso é útil, já que eles podem não saber chegar em determinados destinos. O Google Maps e o Google Places devem ser integrados ao aplicativo para obter ajuda adicional com isso. Afinal, os passageiros precisam ter a capacidade de aceitar ou rejeitar motoristas, e vice-versa.

Os co-fundadores da Uber se consideravam uma startup com base em geolocalização desde o primeiro dia. Para criar o Uber, Garrett Camp e Travis Kalanick precisaram entender as especificações da geolocalização do IOS eAndroid.

Você tem um pouco mais de sorte do que eles em 2010. Essa tecnologia evoluiu, e se tornou cada vez mais fácil obter informações específicas. Atualmente, você consegue ter acesso a essa informação de maneira muito mais simples.

Aplicativos semelhantes ao Uber contam com os seguintes recursos de geolocalização:

1 – Identificação da localização de um dispositivo

O aplicativo do Uber para IOS usa o CoreLocation framework para localizar o dispositivo do usuário. O CoreLocation framework provém classes e protocolos para configurar, agendar, enviar e receber localização de eventos para o servidor. O CoreLocation framework também permite a Uber definir e monitorar regiões geográficas, bem como o movimento de um dispositivo através delas.

geolocalização para versão Android do Uber foi implementada usando Google’s Location API. Ele consegue de forma inteligente gerenciar a tecnologia de localização enquanto atende a diversas necessidades de desenvolvimento.

2 – Direções

Para o display de direção ponto-a-ponto no mapa, desenvolvedores do aplicativo Uber usaram o MapKit para o IOS. Registrando o aplicativo como um app de navegação, tornando as rotas disponíveis para o Google Maps e todos os outros softwares de mapeamento no dispositivo do usuário.

As rotas e direções no Android só se tornam possíveis por causa do Google Maps Android API.

3 – Software de mapeamento

O Uber fez o que se espera de qualquer serviço baseado em localização – implementou o Google Maps para versões nas duas plataformas.

Mas o Google Maps não é o único serviço utilizado pela Uber. Para evitar pagar ao Google por suas soluções, Uber comprou companhias de tecnologia de mapeamento para resolver problemas com logística. E por que não? Afinal, a Uber deseja se tornar a maior empresa do mundo de “logística local e entregas de pessoas e coisas.”

Geolocalização é com certeza o recurso mais importante dentro do pacote de tecnologias de um aplicativo semelhante ao Uber. 

Mas existem outras tecnologias e outras funcionalidades para desenvolver um aplicativo de transporte particular.

Notificações Push e SMS:

Uma das coisas que torna a Uber tão grande é que os motoristas podem escolher quando querem trabalhar. Há sempre passageiros solicitando condutores. Assim, os motoristas podem apenas entrar no aplicativo e escolher um passageiro para pegar quando eles estiverem prontos também. Este tipo de conveniência deve ser colocado em seu aplicativo semelhante ao Uber. E claro, você vai querer um Sistema de Mensagens no aplicativo para que o condutor e o passageiro possam se comunicar.

Depois de pedir uma corrida, a Uber envia algumas notificações: a primeira é quando algum motorista aceita a sua corrida, e a segunda é quando o motorista está a menos de um minuto do local. Eles também notificam quando alguma corrida foi cancelada por alguma razão.

As mensagens de texto da Uber são feitas pela Twilio, provedora de telecomunicações. Para implementar notificações push no app IOS, a empresa utilizou o Apple Push Notifications Service, e para o aplicativo Android, usaram o Google Cloud Messaging (que já está ultrapassado, hoje é utilizado o Firebase, também da google).

Nota: o Apple Push Notification Service (APNS) não garante a entrega de notificações push. As mensagens são enfileiradas de forma que, se o aparelho do usuário estiver off-line ou indisponível nem toda notificação por push será necessariamente recebida. Do ponto de vista dos desenvolvedores, APNS é unidirecional. Isso significa que não há como saber se o dispositivo do usuário recebeu a notificação, se vai receber, ou quando vai receber. Entretanto um SMS quase sempre é recebido. E se caso ele não for recebido, o provedor poderá informa-lo que o envio falhou. Diferente do APNS, Google’s Cloud Messaging service permite a você monitorar o recebimento das notificações push.

Integração de pagamentos:

Os passageiros que solicitam serviços devem enviar suas informações de cartão de crédito, enquanto os motoristas devem enviar suas informações de conta bancária. Dessa forma, o cartão de crédito do passageiro será automaticamente cobrado quando solicitar um serviço de condução e, em seguida, o pagamento da comissão do motorista será depositado diretamente em sua conta.

Isso torna o processo de coleta de tarifas e recebimento de pagamentos muito mais fácil e reduz as chances de os motoristas abusarem do sistema.

Para aceitar pagamentos por cartão, deve-se contratar um gateway de pagamento. Mas na hora de procurar qual empresa utilizar, lembre-se de procurar empresas com um certificado Payment Card Industry Data Security Standards (PCI DSS). Ele é o certificado internacional de segurança online para dados bancários.

Visão geral da criação do APP:

Criar um aplicativo levaria cerca de 5.000 horas de trabalho. Os desenvolvedores mais baratos cobram R$20 por hora, enquanto os grandes desenvolvedores cobram R$150 por hora. Estas estimativas são baseadas nas taxas horárias médias de desenvolvedores de aplicativos para dispositivos móveis. É seguro dizer que você teria que garantir, pelo menos. R$100.000 em custos de inicialização para desenvolver o aplicativo.

No geral, existem seis elementos importantes que irão para a criação de seu aplicativo:

1)    Design do aplicativo;

2)    Desenvolvimento de aplicativos;

3)    Desenvolvimento de backend;

4)    Desenvolvimento web;

5)    Desenvolvimento de projeto;

6)    Garantia da qualidade;

Não se esqueça que você terá que desenvolver duas versões do aplicativo para acomodar os motoristas e os passageiros. Não só isso, cada um desses aplicativos terá que estar disponível para os sistemas Android e iOS. Isso significa que você terá um total de 4 aplicativos para desenvolver.

Lançamento do aplicativo:

Não espere que o lançamento do aplicativo semelhante ao uber seja suficiente para o sucesso dele. É necessário planejar muito bem a estratégia de divulgação, não só para que o usuário faça o download do app, mas para que ele perceba o valor de manter o aplicativo instalado e usar o serviço oferecido.

Veja os 5 passos que facilitarão esse processo:

  1. Tenha um produto de qualidade:

Nem os truques mais poderosos de marketing farão de seu produto um sucesso, se ele não atender as necessidades do usuário.

Um produto de qualidade não é só um produto que foi desenvolvido com os melhores padrões de desenvolvimento, ou design. Esses são fatores cruciais, no entanto serão inúteis se o produto não resolver o problema do usuário.

O Duolingo é um aplicativo que resolve o problema do usuário, ensinando idiomas através de jogos. Sua interface é intuitiva, permitindo que com poucos cliques a pessoa acesse a área de interesse.

Confira algumas dicas para desenvolver um aplicativo de sucesso

  1. Crie uma fase Beta:

Quando seu MVP estiver pronto ou mesmo a versão mais completa do app, é importante testar o aplicativo com usuários de verdade.

Essa fase permite que seu produto seja testado por diferentes pessoas com diferentes dispositivos. Assim, é possível encontrar inconformidades e colher o máximo de feedbacks que podem indicar melhorias e possíveis falhas, em tempo de serem corrigidas.

Aqui na Usemobile utilizamos o crashlytics para realizar nossos testes. Através dele o usuário pode baixar a versão de testes, só é necessário que o usuário aceite o convite por email. Assim, testamos todos os aplicativos com uma base de usuários antes de lançarmos definitivamente.

Obs: Lembre-se de ter uma forma efetiva de comunicação para o usuário entrar em contato, dentro do aplicativo.

  1. Diversidade de telas:

Com a diversidade de modelos encontrados no mercado, é cada vez maior a variedade de telas e dispositivos em que seu produto vai ser executado.

É imprescindível que ele se adapte bem para todas as telas. Não só para garantir uma excelente experiência do usuário, mas as próprias lojas de aplicativos dão prioridade de divulgação para aplicativos que atendam uma maior gama de telas.

Por isso, ao fazer o lançamento de aplicativos, certifique-se de que o design do aplicativo atenda desde telas pequenas até tablets.

  1. Observe a concorrência:

Analise bem a sua concorrência. Observe as diferenças entre seus aplicativos e como essas diferenças podem ser trabalhadas. Conheça suas vantagens e desvantagens, avalie a comunicação, o discurso, o atendimento e o suporte.

Saiba a opinião dos usuários que utilizam os serviços do concorrente, dessa forma você pode encontrar pontos fracos. Veja as avaliações negativas, entenda como você pode melhorar, qual diferencial seu aplicativo pode oferecer, para que o usuário troque de app. Você pode usar o App Annie ou o SimilarWeb para fazer rastreamentos e obter mais informações.

  1. O pós lançamento é importante:

O número de downloads é um indicador importante para um lançamento, mas para que seu aplicativo seja um sucesso você precisa manter uma base de usuário ativos.

Após a instalação é comum que usuários entrem em contato para sanar dúvidas e entender funcionalidades do app. Ter um atendimento e suporte qualificado faz toda diferença e pode ser um fator crucial para que seu usuário mantenha o seu aplicativo instalado.

Para que seu usuário não desinstale seu aplicativo você precisa oferecer novas funcionalidades e melhoria contínua!

Bônus – App Store Optimization:

App Store Optimization, ou ASO, é o conjunto de técnicas e ações que sua empresa deve tomar ao publicar o aplicativo em uma das App Stores. Isso fará com que pessoas que realmente querem ou precisam daquela aplicação a encontrem.

Como já falamos, o ícone é a primeira impressão que as pessoas têm, por isso, ele deve ser bem atrativo. A inserção de palavras-chave relevantes para seu segmento na descrição também é importante, isso levará mais pessoas a encontrarem seu aplicativo.

Colocar screenshots que mostram as principais funções do aplicativo será atrativo e levarão mais pessoas a baixarem o app. Se o aplicativo for para Android, a inserção de um vídeo apresentando as funções também é muito interessante.

O ASO, associado com outras formas de marketing, como criação de um site focado nas palavras-chave, garantirão o sucesso do app da sua empresa.

Como você pode perceber, para realizar o lançamento de aplicativos é preciso planejar e criar uma boa estratégia para auxiliar na sua divulgação. Assim, seu objetivo de criar um aplicativo semelhante ao Uber de sucesso será alcançado da melhor forma.

Acompanhe as métricas durante e após o lançamento. Dessa forma, é possível antecipar qualquer obstáculo que impacte nos números da campanha. Isso permite criar alternativas e mudar sua direção e posicionamento em tempo hábil sem desperdiçar recursos.

Concluindo:

Obviamente, este vai ser um grande projeto que provavelmente levará muito tempo e acurácia para ser desenvolvido. Os empresários que têm uma ideia de aplicativo semelhante ao Uber devem pensar em contratar vários desenvolvedores para trabalhar em conjunto, a fim de reduzir o tempo de desenvolvimento. Se você tem condições de financiar este projeto, contratar uma empresa terceirizada pode ser a melhor maneira de prosseguir com o desenvolvimento.

Elson Andrade – arquiteto, urbanista, empresário e pós graduando do Instituto de Economia da Unicamp.

Para os mais astutos, sugiro assistirem ao vídeo abaixo, como reflexão complementar a leitura.

https://www.youtube.com/watch?v=kO1PSkzTs