Comerciantes de fogos da capital recorrem às promoções para evitar prejuízo

fogos

Após o São João, os comerciantes da Feira de Fogos, instalada na Avenida Paralela, recorrem às promoções para evitar prejuízo nas vendas, que já havia sido afetada pela crise econômica.

Na promoção pós São João, o tradicional vulcão Sputinik baixou o preço de R$ 0,80 para R$ 0,50, o vulcão caiu de R$ 2 para R$ 1; e a abelhinha de R$ 3 para R$ 2. Os preços dos fogos na feira variam de R$ 0,75 a R$ 2.500. Os traques de massa foram os mais procurados. Além de mais baratos – a caixa custa, em média, R$ 0,75. são indicados para todas as idades.

O funcionário público José Félix, 50, esteve pela quarta vez na feira. “Hoje levei foguete mais barato de R$ 29 por R$ 25”. Já a agente de endemias Gleide Falcão, 70, aproveitou os preços mais baixos para comprar e revender os produtos no bairro onde mora, no Parque São Brás. “Um pacote com 20 caixas de traque custa R$ 15.  Para tirar uma graninha extra, revendo três caixas por R$ 5”, disse.

Gilson Prazeres, 53, vende fogos há 35 anos na barraca Os Trapalhões: ” Esse ano a crise atrapalhou um pouco as vendas, apesar de termos facilitado, dividindo no cartão e de termos dado brindes aos compradores”.

Para o comerciante Paulo Andrade, dono da barraca Andrade, a crise trouxe queda de cerca de 20% no faturamento. ” As pessoas compravam, em média, de R$ 200 a R$ 300. Esse ano as pessoas compraram menos, entre R$ 50 e R$ 120″, explicou Paulo.
São Pedro

A Feira de Fogos vai continuar aberta até o dia 3 de julho e a expectativa é que na festa de São Pedro aumente a procura. ” Esperamos agora vender mais foguetes para o São Pedro”, disse o comerciante.

A Tarde