Coelba orienta economia de energia para reduzir impacto da bandeira vermelha nas contas de luz

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou uma elevação no valor da bandeira tarifária vermelha patamar dois. Com o reajuste, a taxa extra passou de R$ 6,24 para R$ 9,49 a cada 100kWh consumidos. A alteração, que já começa a valer a partir da próxima quinta-feira (1º), foi motivada pela rigorosa estiagem que assola o País e que impactou diretamente a geração de energia nas hidrelétricas.

Diante disso, a Coelba orienta os seus clientes a evitar o desperdício de energia por meio de ações simples no dia a dia, como manter lâmpadas desligadas quando não estiver no ambiente e retirar os aparelhos da tomada sempre que não estiver utilizando. A companhia disponibiliza manuais e publicações sobre uso eficiente no aplicativo Publicações Neoenergia, que é a controladora da Coelba.

“Os nossos clientes podem economizar energia com mudanças de hábitos ou investindo em aparelhos mais eficientes, lembrando que o investimento inicial se paga com a redução do valor da conta de luz”, afirma a gerente de Eficiência Energética da Neoenergia, Ana Christina Mascarenhas.

Entre as orientações está utilizar a luz natural nos cômodos sempre que possível, abrindo portas e janelas. Quando for escolher as lâmpadas, o consumidor deve preferir os modelos mais econômicos, que são as de LED, capazes de proporcionar uma economia de até 78% se comparada com as halógenas, que substituíram as incandescentes, e 40% em relação às fluorescentes compactas.

Ao comprar eletrodomésticos, a orientação é optar pelos modelos mais eficientes, que apresentam o Selo Procel ou que tenham a classificação de consumo de energia “A” estabelecida pelo Inmetro. É importante comparar o consumo descrito na etiqueta, porque a variação de uma marca para outra pode ser de até 50% entre aparelhos com a mesma capacidade.

No caso da geladeira, durante o uso, as principais dicas são: evitar deixar a porta aberta por mais tempo que o necessário e não colocar alimentos quentes dentro do refrigerador nem secar roupas e panos na parte de trás. Os refrigeradores duplex frost free de 342 litros são 50% mais econômicos que os side by side de 501 litros. A capacidade do refrigerador impacta no consumo de energia elétrica.

Chuveiro elétrico e ar-condicionado

Quando usarem ar-condicionado e chuveiro elétrico, os clientes devem ficar atentos à temperatura. Para economizar no banho, podem passar menos tempo, desligar a torneira enquanto se ensaboam e deixar o chuveiro na posição “verão”, que consome até 30% menos de energia. Isso vale também para o ar-condicionado: quanto mais alta a temperatura do termostato, menor o consumo. Quando não estiver usando o ar-condicionado no inverno, por exemplo, é recomendado desligar o disjuntor do quadro geral de energia, pois o stand-by também consome energia.

No banho, um minuto a menos no chuveiro elétrico de 5.500 W faz diferença no final do mês. Se a casa tiver quatro pessoas, a economia mensal com esse minuto a menos no banho equivale ao uso de oito lâmpadas LED de 9W durante cinco horas diárias por 30 dias.

Ferro de passar roupas

O modelo do ferro de passar roupas também faz muita diferença. O consumo dobra quando utilizamos o ferro a vapor em relação ao ferro a seco e, se utilizar vaporizador, esse consumo multiplica por seis vezes. Cabe ainda destacar que alguns ferros a vapor possuem um dispositivo de desligamento automático que atua após 15 minutos de inatividade (posição vertical), evitando o desperdício de energia e protegendo contra possíveis incêndios.

Segundo estudo realizado pelo Inmetro e pelo MDIC, a economia de energia quando se opta por acumular roupas ou passar tudo de uma vez é muito pequena comparada com passar roupa todo dia. Isso quer dizer que o consumidor pode escolher passar poucas peças por dia sem que isso aumente significativamente sua conta de energia.

Mais dicas

No ventilador de teto que tem três posições de velocidade – baixa, média e alta –, a posição média em alguns modelos economiza metade da energia gasta na posição alta. Esses equipamentos também têm o selo Procel e o ideal é comprar os mais eficientes.

Deve-se atentar para o uso de micro-ondas para descongelar alimentos: aumentando o tempo de uso, como a potência do forno é alta, o consumo mensal é impactado. Se for adquirir algum equipamento novo, prestar atenção no consumo na etiqueta do Inmetro, pois existem diferenças de potência de até 70% entre os modelos – quanto maior o volume, maior o consumo.

Nas lavadoras de roupa, as que lavam e secam com abertura frontal, usando água quente, o consumo de energia pode triplicar em relação as que apenas lavam apenas com água fria.

O que significa a bandeira tarifária?

As contas de luz de junho terão um valor extra devido à decisão da Aneel de acionar a bandeira tarifária vermelha para compensar os custos relacionados à menor geração hidrelétrica na estação seca nas principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN). No mês, a cada 100 kWh consumidos, os clientes passarão a ter um custo adicional de R$ 9,49, o que pode ser consultado na parte de “informações importantes” da conta de luz.

No Brasil, a energia hidráulica representa quase 60% da matriz elétrica – ou seja, mais da metade da capacidade instalada vem da água. Isso quer dizer que nos períodos de estiagem, outras fontes precisam ser acionadas, principalmente a térmica, elevando o custo.

Quando a geração nas hidrelétricas está em condições favoráveis, não há aumento e a bandeira é verde. Porém, se houver a necessidade de utilizar mais outras fontes, podem ser acionadas as bandeiras: amarela (aumento de R$ 1,343 a cada 100 kWh) e vermelha no patamar 1 (acréscimo de R$ 4,169, como foi em maio de 2021) ou no patamar 2.

Tarifa Social

Descontos de até 65% na conta de luz são oferecidos aos clientes classificados com baixa renda, por meio da Tarifa Social. Têm direito ao benefício os consumidores inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal e que tenham renda familiar mensal por pessoa menor ou igual a meio salário mínimo.

A Coelba faz a inscrição de forma proativa, mas, se o CPF que aparece na fatura não for o mesmo que o do representante da família no cadastro nacional, é necessário solicitar a inclusão. O pedido pode ser feito através dos canais de atendimento digitais, como o site (www.coelba.com.br) e WhatsApp (71) 3370-6350.