Ipiaú: Malabaristas internacionais animam motoristas no Cinquentenário

A praça do Cinquentenário em Ipiaú já se converteu em ponto de encontro de malabaristas  oriundos de países da América Latina.

Por algum motivo, esses artistas de rua escolhem sempre o mesmo trecho para apresentar seus espetáculos, sempre envolvendo algum risco e capturando a atenção da plateia.

Neste final de semana, chamaram a atenção as presenças da jovem argentina Melena, de 18 anos e do venezuelano Arturo Henrique, de 42.

” É uma oportunidade para nós de conhecer novas culturas e apresentar nossa arte”, diz Melena. Já Arturo comenta que nem sempre está feliz com o resultado financeiro das apresentações, mas sempre nota a boa receptividade do público ipiauense.

De Ipiaú a dupla  (formada por cunhados) deve seguir para estados do sudeste e sul do país.

Ipiaú Online

Ipiaú: Coletivo Cultural planeja realizar carnaval dos que não foram

Em março a maior festa popular do planeta tende a deixar Ipiaú com ares de deserto.

Mesmo em meio à grave crise econômica que abala o país e a região o ipiauense tem a tendência quase imutável de viajar durante o feriado de carnaval.  Este ano o grupo Coletivo Cultural de Ipiaú planejar fazer a diferença realizando um carnaval cultural já chamado de  “o carnaval dos que não foram”.

Em entrevista ao programa Expresso 89, da Nova FM, no último sábado (19) integrantes do grupo afirmaram que o projeto inclui música ao vivo com marchinhas e outros sucessos que marcaram o carnaval ao longo dos anos, inclusive com atenção especial ao grupo da terceira idade.

A festa ainda não tem definido o local onde deverá acontecer.

O Coletivo Cultural de Ipiaú é formado por artistas e entusiastas da cultura e do entretenimento na busca pela valorização do setor.

Ipiaú Online

Ipiaú: Coreto ou concha acústica na Praça Rui Barbosa?

coreto

No governo anterior a Praça Rui Barbosa passou por reforma, quando teve seu piso de pedra portuguesa substituído por um piso acimentado. Desde então se fez notar, por exemplo, a falta de assentos e árvores, ressaltando a ausência das famílias de micos que por ali viviam e não mais retornaram.

Nesta reforma o telhado do coreto da praça foi substituido por uma cobertura de lona. A principio talvez tenham encontrado nesse tipo de cobertura alguma lembrança com o estilo de circo, lembrando com isso a atividade artística. Porém o que se percebe é que a lona tem afrouxado com o tempo. Exposta ao sol e a chuva, tem ficado cada vez mais desgastada, numa quadro que demonstra estranheza ao pensarmos que poucas praças no Brasil tem cobertura de lona no seu espaço principal.

Concha acústica em Itapetinga
Concha acústica em Itapetinga
conchaacusticajacobina
Jacobina
conchaacusticamontesanto
Monte Santo

Para efeito de memória, vale lembrar que o que hoje é um coreto, no passado foi uma fonte luminosa, com peixes e tartarugas. Se tornou coreto pela necessidade social de um espaço para eventos. Com o tempo esta necessidade tem se transformado. Surgiram eventos musicais ( como as apresentações do coral municipal, da orquestra Neojibá, de artistas da terra ); exibições de filmes ( como os curta metragens recentes do cineasta Edson Bastos ); palestras da área de saúde, eventos ligados a entidades religiosas, solidárias ou esportivas… a lista é longa. Para todos, o velho coreto está ultrapassado e sem serventia.

Por outro lado, se seguirmos a tendência à modernização, o ideal seria a construção de uma concha acústica. Um espaço bem construído, com palco e assentos para a platéia, serviria muito mais para a realização de eventos, tal como já acontece hoje em cidades da Bahia, a exemplo de Itapetinga, Mundo Monte Santo e Jacobina, que podem ser vistas nas fotos acima.

Celso Rommel/ Ipiaú on Line