Longa estagnação na economia ipiauense é tema do comentário de Elson Andrade na Agenda 2033

Há mais de três décadas enferma, economia de Ipiaú agoniza na UTI em busca de uma solução

Para muitas pessoas, esta manchete pode parecer um exagero, principalmente aquelas, que se sentiram vitoriosas com o resultado do último sufrágio eleitoral, e agora zombam e dançam sobre as costas nos “derrotados-adversários”.

No entanto, não é novidade para ninguém (em sã consciência) que desde a grave crise cacaueira, do fim da década de 80, a economia de Ipiaú vem se arrastando feito cobra pelo chão.

De lá para cá, muito tempo já se passou, e pouco de substancial aconteceu, em favor de qualquer mudança da matriz econômica. Até a oscilação do número de habitantes, pouco variou, embora a cidade se esparramou subindo os morros em cascalheiras.

(mais…)


Elson Andrade enfatiza produção local como fator para o desenvolvimento da região de Ipiaú

O verdadeiro Plano de Desenvolvimento Socioeconômico de Ipiaú, só se dará à partir de uma nova matriz urbana e baseada na produção localDesde que apresentamos a sociedade ipiauense, as diretrizes fundamentais do Plano Diretor Urbano para o município de Ipiaú-BA, no ano de 1997; de lá para cá, só temos recebido manifestações de anuências, elogios, parabéns e tapinha nas costas, além, de ver pessoas outras tentando inutilmente se passarem como pai/mãe da criança (projeto).

Situação lastimável. Mesmo porque, na prática, a elaboração e implementação de Políticas Públicas Perenes, não faz parte da cultura social e estatal de Ipiaú e região. Infelizmente.

(mais…)

Eleições municipais 2020: Nota de Falecimento da Velha Política

Vimos por meio desta, comunicar aos senhores(as) candidatos(as) ao cargo de vereador e prefeito, que a Velha Política, veio a óbito (graças a Deus) e que não adianta insistirem com a tentativa de ressureição, dum corpo que já vinha em estado de putrefação, há décadas.

Quanto a indumentária da missa de corpo presente: NÃO se admite o uso de máscaras (mesmo em época de Covid). Também, não se admite a terceirização da representação da sua pessoa, por outrem.

Se a alma da velha, já não se encontra mais entre nós, porém, o corpo e ideias dos candidatos carpideiros, terão que estar presente neste vestibular.

(mais…)

Candidato, o povo quer saber: Qual a sua proposta para uma boa gestão e desenvolvimento de Ipiaú?

 

Tenho um amigo empresário, bem sucedido no plano pessoal, familiar e econômico, original de Brejões-BA, que ao ser apresentado a algum novato no grupo, ele sempre questiona firmemente, sem titubear: – Você sabe quem é seu pai?

Pergunta um tanto estranha, intimista e aparentemente desconcertante. Mas, que abre um canal direto e oportuno com o objetivo da revelação e exploração da origem, valores e história do noviço candango.

A pergunta que de primeira fazemos aos candidatos, é a seguinte:

Você sabe em que momento da história e ciclo econômico de Ipiaú, estamos?

(mais…)

E se você fosse o prefeito(a) da sua cidade, o que você faria para levar seu município ao pleno desenvolvimento?

Para irmos direto ao ponto, é preciso deixar claro, que na nossa visão, um dos grandes males que tem assolado o Desenvolvimento Socioeconômico das nossas pequenas cidades, tem sido: a entrega, a atribuição, a delegação, A ESPERA PELA INICIATIVA E AÇÃO DO PODER PÚBLICO, via governos populistas político-eleitoreiros. Que, como um ser supostamente novato salvador, “extraterrenos”, num acidente, venha e nos atropele de forma mágica com o seu desenvolvimento estatal.

Saibam, esta é a pior e mais cara escolha, que poderíamos ter apostado e investido nossa esperança, como solução do problema. Senão vejamos!

Infelizmente, mas é corrente na nossa sociedade, em especial, no Norte-Nordeste do país, atribuirmos o Desenvolvimento a iniciativa estatal, e esperarmos do governo “piconauta-salvador” que o poder público, venha, promova e nos atropele com programas e políticas-maternais.

(mais…)

Economia Financeira: Análise dos riscos e oportunidades por trás do novo Sistema de Pagamento Instantâneo PIX do Banco Central – parte II

Ainda repercutindo as facilidades de acesso e riscos por trás do novo Sistema de Pagamento Instantâneo PIX do Banco Central do Brasil, (Powered By plataforma de meio de pagamentos em liquidações instantâneas do BCB) que entrará em vigor em todo o Brasil, agora em 16 de novembro de 2020, o qual permitirá a realização de transferências de valores e efetuar pagamentos através de dinheiro digital, entre pessoas, empresas e governos (via celulares e/ou PCs) em até 10 segundos, 24 h por dia, 7 dias por semana. Tudo devidamente capturado e registrado nas bases oficiais do governo, sem revogar qualquer obrigação legal, parafernal, fiscal, previdenciária, trabalhista e/ou regimental, em curso.

(mais…)

Macroeconomia para leigos – Como Ipiaú poderia ter inteligência econômica e a consequente prosperidade coletiva?

Para iniciarmos, vamos a definição clássica de Macroeconomia. Que é o ramo/matéria da economia que estuda, em escala global (o chamado agregado) por meios estatísticos e matemáticos, os fenômenos econômicos e sua distribuição em uma estrutura de mercado, território e setor econômico; correlacionando os dados e elementos, como: a renda, o nível dos preços, a taxa de juros, o nível da poupança e dos investimentos, a balança de pagamentos de um dado território, além do consequente nível de desemprego, abastecimento e satisfação das demandas duma sociedade econômica.

Muitos tem a curiosidade – Como de fato funciona a economia de Ipiaú? Em números, origem, destino, produção, distribuição e multiplicação do dinheiro, da riqueza e dos recursos naturais da nossa economia. Quem lucra, quem perde? Quem consome anos a fio da vida e não sai do lugar… Quem? Como? Quanto? Por que? (…)

(mais…)

Economia Política: A força do dinheiro está na expressão potencial da violência

O ser humano não pensa, compara! E a riqueza, é uma percepção subjetiva, comparativa, e não absoluta ou lógica e racional!

Logo, o conceito e satisfação da riqueza, é fundamentalmente, advinda da cognição comparativa, intuitiva do sujeito. Como ele “sabe” quanto é rico? Comparando-se com o seu vizinho ou cunhado (por exemplo).

Como diária o Willian Bonner no JN (com a estampada risada ironicamente da Mona Lisa) em tempos de Coronavírus, – “Calma”! Vamos à um exemplo prático, numa viagem no tempo para lhe explicar melhor tudo isso.

(mais…)


Gestão Pública: Graves ameaças à Economia de Ipiaú desafiam a inteligência e capacidade administrativa do próximo gestor(a) 2021-24

Há tempo temos insistido com a implantação duma Moeda Social, local, de Ipiaú, para Ipiaú, e, pelos ipiauenses,

Como forma de escape das garrar expropriantes da economia financeira praticada pelo grandes Bancos nacionais, atuantes em nossa cidade e país. Pois, esta ferramenta (a Moeda Local) desenvolvimentista, poderá fomentar, dinamizar e alavancar os negócio dos pequenos agentes econômicos locais, e portanto, tem potencial de produzir resultados Econômicos Estruturais substanciais, a nossa Economia microrregional. Pois é capaz de resgatar muitos segmentos escanteados, e, lhes proporcionar, acesso ao crédito, ao emprego e a renda.

(mais…)

Economia Política: SOCORRO Ipiaú aos 86 anos de idade e ainda tem bancos sequestrando nosso futuro, silenciosamente

Se tem uma inquietação relativa ao custo de oportunidade, (como pulga atrás da orelha, que ronda a cabeça dos economistas, ingênuos ou de primeira viagem) num país do hemisfério sul, que só fala português, é: – Por que, tendo tanto dinheiro em caixa, os bancos deste país, preferem esteriliza-lo depositando está fábula de recursos (R$ 1,3 trilhões) em operações compromissadas no Banco Central, do que emprestar “legalmente”, à taxas estratosféricas, como é o caso daquelas praticadas, em especial, contra os pequenos, sejam eles PF ou PJ do tipo ME, MEI e EPP?

Em termos técnicos, a mesma pergunta se faz duma outra forma: – Por que estes bancos mantêm um índice de alavancagem financeira tão baixo, a ponto de atingir o nível de 1/10 daquele praticado na era do Planos de Metas do JK(laaaá no início da abertura econômica brasileira, e da América Latina em geral).

(mais…)

Fusão de 9 cidades da microrregional de Ipiaú poderia gerar economia de 130 milhões para infraestrutura e melhoria dos serviços

Com o lema Pequenas Cidades Grandes Problemas – corre no Senado Federal um projeto de lei que facilita a FUSÃO de pequenos municípios em todo o Brasil. O projeto é uma proposta do senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR) que trata da incorporação e fusão de municípios pequenos, uns aos outros, resultando em apenas um, desde que situados a menos de 50 km da nova sede.

Do projeto de Fusão

Na justificativa da matéria, o senador Oriovisto, afirma que, em muitos casos, um município pequeno não se justifica, pela relação: custo-benefício, já que, segundo ele, os contribuintes locais, sequer geram recursos suficientes para custear a própria máquina pública. E acrescenta: – “Existem no país 1.257 municípios com população inferior a 5 mil habitantes, o que equivale a 23% do total de municípios. Classificados como um abuso político desmedido! Só deveríamos ter cidade autônomas, com estrutura administrativa e política, a partir de 80 mil habitantes e/ou distante a mais de 200 km da sede, conclui.

(mais…)


Ipiaú: Setor de Combustíveis fatura R$ 60 milhões/ano com prática de sobre preços até 30% superiores à base nacional dos preços da ANP

 

Há tempos os donos de postos de combustíveis e distribuidores de gás GLP, vêm de forma petulante desafiando os consumidores ipiauenses, e garantindo margens e lucros acima da capacidade econômica local. E, somente uma tomada de postura drástica, radical, inteligente, legalista, consistente e concisa será capaz de fazer diferença substancial ao caso concreto em tela. Osso duro de roer, que para larga-lo, exigirá bater forte na cachorrada!

Não bastasse este povo sofrido ainda está pagando o preço das agruras socioeconômicas dos equívocos da monocultura cacaueira e a da falta de investimentos no desenvolvimento local, via consequência da prática do insistente oligopsônio, agora, ainda ter que bancar mais essa: – pagar altos preços pelos combustíveis, dado a existência de oligopólios? Não merecemos!

(mais…)

Economia: Só uma REVOLUÇÃO RADICAL poderá nos levar à autolibertação FINANCEIRA para retomada do Desenvolvimento Territorial Local. Entenda!

 

 

Em primeiro lugar, destacar que quando tratamos aqui de Revolução Radical, entenda: Tudo dentro da lei, da ordem e da paz. Apenas, fazendo uso de inteligência coletiva auto colaborativa, em reação à retomada do nosso próprio desenvolvimento socioeconômico territorial local.

Muito temos tratado sobre o Sistema de Servidão Financeira constatada em qualquer cidade brasileira. Esquema instituído desde a lei 4.595/64 que criou o Banco Central do Brasil. Proteção estatal consorciada, que aliás, legaliza a concentração financeira de cerca de 85% dos recursos dos brasileiros, nas mãos de apenas 5 bancos, de porte e atuação nacional.

(mais…)

Economia: Ipiauenses deixam de ganhar mais de 1 bilhão por ano sem perceberem. Entenda!

O gráfico abaixo aponta um RETROCESSO no tempo, de mais de meio século.

Antes que hajam questionamentos coléricos apressados infundados, vamos aos números.

O PIB brasileiro de 2018 foi de R$ 6,8 trilhões, quando a população atingiu 208 milhões naquele ano. Logo, a renda média per capta teórica foi de R$ 32,70 mil por habitante ano.

(mais…)

Bancos, Empresas e Encargos Sociais são máquinas de transferência de renda de pessoas e cidades POBRES para RICAS via governos

Acompanhe abaixo e entenda o mapa proposital na formação e conservação da pobreza brasileira. Aprecie com moderação! Não repita isto em casa!

O texto abaixo não é recomendado para os fracos e papagaios – superficiais de causas dadas, prontas e conclusivas. Se você é um(a) destes(as), desista! Volte para seu Zap…

Em verdade, trata-se de um sistema central, (o tal núcleo duro) implantado pela Ordem Nacional, que apenas reproduz aquilo que importamos da velha ordem hierárquica socioeconômica, o tal stabelichment, corrente no mundo!

Pasmem, isso não é de hoje!

frade franciscano italiano Luca Pacioli definiu no século XV que para todo crédito há um débito correspondente. Em outras palavras, tudo que existe, tem origem e destino! Exceto o verdadeiro e eterno: Espírito de Deus!

(mais…)