Bradesco informa que dados de 53 mil clientes podem ter sido vazados

O Bradesco (BBDC4) informou, na última nesta sexta-feira (13), que sua subsidiária Bradesco Financiamentos tomou conhecimento de um incidente que pode ter possibilitado a visualização não autorizada de dados de contratos de financiamento de veículos de cerca de 53 mil clientes.

Em comunicado à “Reuters”, o Bradesco confirmou que priorizou a transparência com os clientes após o possível incidente.

“Todas as medidas necessárias para a solução do incidente, bem como de comunicação aos clientes e às autoridades competentes, foram adotadas”, disse o banco.

Além disso, o banco também optou por tranquilizar os usuários acerca da segurança dos dados possivelmente expostos.

“Ressaltamos que a característica dos dados eventualmente visualizados não coloca em risco a integridade de acesso a sistemas transacionais desses clientes junto à Bradesco Financiamentos. O Bradesco reforça seu compromisso com a transparência e a segurança dos dados de seus clientes”, reforçou a companhia.

Outros brancos enfrentaram situações semelhantes com a do Bradesco neste ano

Na ocasião, o BC informou que os dados cadastrais vinculados a 2.112 chaves PIX, contendo o nome do usuário, o CPF, a instituição de relacionamento e o número da conta, foram expostos.

Além do vazamento de dados, fraudes financeiras também têm sido comuns entre os bancos brasileiros. No início deste mês, o C6 Bank sofreu um golpe milionário, em que R$ 23 milhões foram desviados por correntistas clientes do banco.

Segundo investigações da Polícia Civil do estado de São Paulo, cinco mil clientes do banco digital realizaram a fraude na modalidade “CDB (Certificados de Depósito Bancário) Crédito” do banco.

A suspeita era de que os correntistas usuários do aplicativo do banco tenham descoberto uma brecha para usar o valor total do limite cedido e, ao mesmo tempo, sacar todo o saldo aplicado, de acordo com informações da “Veja”.

Em situação parecida, o Banco Pan informou, no mês de abril, que detectou uma “fragilidade” na plataforma de um fornecedor de tecnologia, utilizada na Central de Atendimento a clientes do segmento de cartões, o que permitiu o vazamento de informações de clientes.

Na situação, o banco, diferente do realizado pelo Bradesco na última sexta (13), não informou quantos clientes foram expostos. Vale ressaltar que a empresa possui cerca de 17 milhões de clientes ativos, e a Nubank (NUBR33) também passou por incidente semelhante recentemente. (BN)