Bolsonaro faz aceno à Bahia em obra da Fiol

“Nós temos um grande compromisso com a nação, de fazer as obras com menos recursos e com criatividade”, Bolsonaro avisou aos presentes em um espaço para cerimônias montado ao lado de um dos canteiros de obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), no município de São Desidério, no segundo trecho da obra. Em relação à Fiol, o auxiliar direto do presidente na área da Infraestrutura, o ministro Tarcísio Gomes Freitas, garantiu nesta sexta-feira (dia 11) que os recursos sempre serão encontrados. “A obra é prioridade”, disse.

O presidente da República, alguns dos seus ministros mais próximos e parlamentares estiveram no Oeste da Bahia para formalizar o acordo que vai permitir o retorno do Exército a obras de infraestrutura ferroviária após mais de 20 anos. O governo da Bahia não enviou representantes. O 4º Batalhão de Engenharia de Construção, de Barreiras/BA, e o 2º Batalhão Ferroviário, de Araguari/MG, serão responsáveis pela conclusão do lote de 18 km, entre Bom Jesus da Lapa/BA e São Desidério/BA.

A Fiol está dividida em três grandes trechos. O primeiro liga os municípios baianos de Ilhéus a Caetité e é o que está na fase de obras mais adiantadas. De acordo com informações da Valec, empresa federal responsável pelas obras, 75% desta etapa já está concluída. A licitação depende de um parecer do Tribunal de Contas da União (TCU) sobre o assunto. O segundo trecho, visitado por Bolsonaro, liga Caetité a Barreiras, no Oeste baiano. Já o terceiro trecho vai conectar Barreiras e Figueirópolis, em Tocantins. O segundo trecho da ferrovia, com 485,4 km de extensão, conta com uma previsão de investimento de R$ 2,7 bilhões e encontra-se 39% concluída.

Quando estiver totalmente concluída, a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) terá 1,5 mil quilômetros de extensão. O investimento total previsto é de aproximadamente R$ 9 bilhões.

“Nós resolvemos investir mais no modal (ferroviário), aproveitando obras que já estavam em andamento. O Brasil ganha. Nós temos tudo para revolucionar o meio de transporte do Brasil, no caso o ferroviário, um dos mais importantes para o país”, destacou Bolsonaro, em seu pronunciamento. Antes disso, na chegada aos municípios de Barreiras e São Desidério, experimentou um clima típico de campanha eleitoral.

No Twitter dele, um vídeo mostra o presidente sendo recebido por apoiadores em Barreiras, aos gritos de “mito”. Ele desembarcou lá por volta das 9h da manhã e pegou um helicóptero para São Desidério. Sem máscara, ele cumprimentava apoiadores do outro lado de uma grade de proteção. Uma cena parecida se repetiu em São Desidério, com uma única diferença, desta vez, o presidente aparece no meio da multidão. A pedidos, pega celulares de apoiadores e faz selfies.

Durante a visita, o presidente e o ministro sobrevoaram o trecho onde o Exército vai atuar.

Na cerimônia em São Desidério, Tarcísio Freitas ressaltou a obra como uma prioridade do governo que, segundo ele, fará tudo o que for possível para concluí-la.

“Será que dessa vez vai? Vai, porque o governo Bolsonaro é diferente. Vai, porque o governo Bolsonaro promete e entrega. Vai porque há criatividade, porque há vontade”, disse Tarcísio.

Ele citou um volume de R$ 500 milhões que serão destinados à compra de trilhos, oriundos do acordo para a renovação antecipada de concessões em ferrovias já existentes. O ministro disse ainda que os recursos da renovação de outorga da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) deverão ser utilizados para construir o terceiro trecho da Fiol, entre Barreiras e Figueirópolis. “Esse é um projeto transformador para região onde agro mais cresce no Brasil, mais até do que no Mato Grosso”, comemorou.

Pelo Twitter, o ministro destacou que a Fiol é a obra mais importante da Bahia. “Nós estamos abrindo mais uma frente de obras. A Fiol é uma das obras mais importantes do Brasil e é certamente a mais importante da Bahia”.

Correio