Bando com cerca de 30 assaltantes ataca agência bancária no interior de Minas

Vídeo feito por morador registrou parte da ação dos criminosos / Reprodução

Um grupo de cerca de 30 criminosos atacou uma agência bancária da Caixa Econômica Federal na noite desta quarta-feira (22) em Itajubá, no sul de Minas Gerais. A Polícia Militar do estado informou que os suspeitos não conseguiram explodir o cofre localizado no interior da agência.

Em nota, a Prefeitura de Itajubá informou que uma pessoa ficou ferida na ação e foi encaminhada para atendimento no hospital da cidade. “A Prefeitura está dando todo o suporte necessário para ajudar nossas forças de segurança neste momento”. A polícia diz que a vítima não sofre risco de morte.

Segundo informações da PM, o caso ocorreu por volta de 23h45. Os suspeitos estavam fortemente armados e fugiram em cinco veículos em direção a Campos do Jordão, no interior de São Paulo, segundo a corporação. A polícia já encontrou carros abandonados nos arredores de Itajubá.

Ainda não há informação sobre valores roubados. Os criminosos também efetuaram disparos contra o quartel da polícia na cidade, mas nenhum militar ficou ferido.

Dois tiroteios entre os agentes de segurança e os criminosos foram registrados na região de Brasópolis e Luminárias, e um suspeito foi preso. Nas trocas de tiros, dois policiais militares ficaram feridos.

Nas redes sociais, moradores de Itajubá compartilharam vídeos com homens armados e intenso barulho de tiros.

O Batalhão de Operações Especiais (Bope) de Belo Horizonte auxiliará na ocorrência.

Novo cangaço
A ação desta quarta faz parte da prática do chamado “novo cangaço” no Brasil. São crimes praticados durante a noite ou madrugada, em que um grupo cerca uma cidade, geralmente no interior dos estados, e rouba grandes quantidades de dinheiro.

Segundo o especialista em Segurança Pública e professor da Faculdade Getúlio Vargas (FGV), Rafael Alcadipani, o termo faz referência a “ações em que há tentativa de domínio de uma cidade inteira para que os criminosos tentem extrair vultuosos volumes de agências bancárias”.

Popularização do termo
Ainda na década de 1990, cidades interioranas de estados do Norte e do Nordeste começaram a sofrer ataques que se enquadram nas táticas do novo cangaço. No Sudeste, ações semelhantes surgiram há alguns anos.

Entre 2020 e 2021, quatro cidades paulistas foram atacadas de modo semelhante: Botucatu, Araraquara, Mococa, e Araçatuba. Em 2022, a cidade de Guarapuava, no interior do Paraná também foi alvo deste tipo de operação criminosa.

O analista criminal e membro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Guaracy Mingardi, explica que os assaltos costumam ser muito bem planejados, além de contar com armas potentes e, muitas vezes, superiores às utilizadas pelas forças policiais de cidades médias e pequenas.

Os bandos geralmente utilizam metralhadoras, fuzis, explosivos e veículos blindados. Munidos desses armamentos, impedem uma reação da polícia e se concentram, principalmente, em roubar agências bancárias ou transportadoras de valores.
CNN



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *