Bahia: PF prende dois suspeitos de fraude de mais de R$ 60 mil no saque de auxílio emergencial

A Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Sexta Parcela, nesta quinta-feira (17), que investiga fraude milionárias por meio do recebimento de Benefícios Emergenciais, os quais beneficiam parte da população com dificuldades financeiras na pandemia de covid-19. A ação acontece na Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Paraná, Rondônia, Roraima e São Paulo.

Em Salvador, os agentes cumpriram dois mandados de prisão temporária e quatro mandados de busca e apreensão, vinculados a três inquéritos policiais.

Os procedimentos são relacionados com suspeitos de fraudar ao menos 98 contas para percepção do auxílio emergencial, contabilizando o montante fraudado de R$ 60.600,00, valor que está subestimado, pois a análise inicial recaiu num período exíguo de oito dias.

A PF destaca que, no geral, foi identificado durante as investigações que uma das associações criminosas especializadas nestas fraudes causou um prejuízo financeiro à Caixa Econômica Federal e à União no valor aproximado R$ 580.000,00. Demonstrando que na fase inicial das operações, o prejuízo está subdimensionado.

A fase desta ação policial é uma continuidade de outras investigações. No total, durante a operação, foram cumpridos 35 Mandados de Busca e Apreensão, dois Mandados de Prisão Temporária, um Mandado de Prisão Preventiva e 12 Mandados de Sequestro de Bens, perfazendo um total de aproximadamente de até R$ 410 mil bloqueados por determinação judicial.

Participam da operação aproximadamente 140 Policiais Federais. Os trabalhos realizados são resultantes de uma união de esforços denominada Estratégia Integrada de Atuação contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial (EIAFAE), da qual participam a Polícia Federal, Ministério Público Federal, Ministério da Cidadania, CAIXA, Receita Federal, Controladoria-Geral da União e Tribunal de Contas da União. Os objetivos da atuação interinstitucional conjunta são a identificação de fraudes massivas e a desarticulação de organizações criminosas, com a responsabilização de seus integrantes, além de recuperar os valores para o erário.

Bnews