Atlantic Nickel faz o primeiro embarque de concentrado de níquel

 

 Venda será feita para a trading Trafigura, que assume financiamento da empresa

A empresa Atlantic Nickel, do grupo Appian Brazil, anuncia a primeira venda de concentrado de níquel da mina Santa Rita, localizada no município de Itagibá, no sul da Bahia. O embarque, de 10.000 toneladas, está programado para acontecer entre os dias 15 e 25 de janeiro, conforme disponibilidade no porto de Ilhéus (BA).

A venda do minério foi acertada com a Trafigura, considerada uma das maiores tradings de metais do mundo. Pelo contrato firmado, parte da produção anual da Atlantic Nickel será destinada para a trading em um acordo de longo prazo.

Adicionalmente, a Trafigura irá oferecer um financiamento de US$ 40,8 milhões de dólares para a empresa. Dessa forma, a Atlantic Nickel garante os recursos necessários para alavancar suas operações na mina de Santa Rita, retomada em outubro de 2019.

“Este é um marco e demonstra a excelência técnica da nossa equipe que conseguiu a volta da produção comercial com meses à frente do plano inicial, de forma segura e responsável”, afirma Paulo Castellari, CEO da Appian Brazil, braço do fundo de Private Equity Appian Capital Advisory.

O fundo adquiriu 100% da mineradora em 2018, quando ainda era conhecida como Mirabela. Após investimentos realizados na planta de beneficiamento, aquisição de equipamentos e reestruturação da mina Santa Rita, foi possível retomar as operações.

A venda para a Trafigura é apenas o primeiro contrato de offtakers que a Appian tem buscado estabelecer, em linha com a crescente demanda de níquel sulfetado.

Com a retomada das operações, a empresa planeja atingir a capacidade nominal de produção de cerca de 120 mil toneladas até dezembro de 2020. “Permaneço confiante nos investimentos na mina Santa Rita. Com uma operação de baixo custo e com longa vida útil, a mina possui um grande potencial e acreditamos nos benefícios que virão do uso do níquel frente ao crescimento mundial da utilização de veículos elétricos”, declara Paulo Castellari.

Ascom