Após deixar Globo, Alexandre Garcia diz que não trabalhará com Bolsonaro

O jornalista Alexandre Garcia, de 78 anos, que deixou a TV Globo no fim de dezembro de 2018, usou sua conta no Twitter para dizer que não integrará o governo de Jair Bolsonaro. O jornalista era cotado para ser o porta-voz do governo. Ele divulgou diversas fotos com nomes importantes do Planalto durante a posse na terça-feira.

Em nota divulgada em sua rede social, Garcia relembrou o trabalho que teve quando aceitou, há 40 anos, ‘com entusiasmo’ o convite do presidente João Figueiredo, que governou entre 1979 e 1985, para integrar sua equipe de comunicação. “Certa vez, em casa, eu tirava o suor no chuveiro, minha mulher irrompeu ao banheiro com um ultimato:’Ou eu ou o Figueiredo’. E optei por Figueiredo”, escreveu.

Agora, o jornalista que, segundo o diretor de jornalismo da Globo, Ali Kamel, saiu da emissora ‘para amenizar um pouco o seu ritmo frenético de trabalho’, diz não ter “a mesma vontade de acordar cedo e dormir tarde e passar a vida viajando em correria”.

“Mesmo sem Globo, não posso deixar na mão os 15 jornais que recebem meu artigo semanal e as 280 emissoras de rádio que amealhei ao longo de 30 anos, e que recebem meu comentário diário por contrato”, acrescenta o jornalista em seu posicionamento.

Alexandre Garcia, diz ainda que quer continuar seu trabalho como comunicador. “Quero ser o porta-voz de todos”, disse, ressaltando seu número de seguidores no Twitter (847 mil): “indo para mil”. Ele disse que aproveitará o tempo para também se dedicar a um canal no Youtube, onde, segundo ele, continuará defendendo “o partido do Brasil”.