Ameaçada, mãe de Lázaro foge para outro estado: “para mim a vida acabou”

Os crimes cometidos por Lázaro Barbosa e a comoção gerada por sua fuga resultaram em impactos diretos a seus familiares. A mãe do homem de 32 anos, Eva Maria de Souza, revelou estar sofrendo ameaças.

Em entrevista ao jornal Correio Braziliense, a mulher de 51 anos disse que foi obrigada a fugir de casa para escapar das ameaças. Ela e o marido deixaram a residência em Águas Lindas, no interior de Goiás, e se mudaram para a Bahia.

“Tivemos de sair do nosso emprego e da cidade. Estamos recebendo muitas ameaças. Não estamos nada bem”, lamentou a mulher.

Eva contou que a família tem sobrevivido graças a doações de pessoas da comunidade onde estão vivendo, uma vez que ela e o marido viram amigos e parentes se afastarem por causa de Lázaro.

“Estamos em um lugar onde não há emprego. Mas, por medo, não estou procurando agora. Recebemos ajuda de algumas pessoas, só que é difícil, porque, aqui todo mundo é muito pobre”, disse.

Mãe pede que filho se entregue
Sem dinheiro, a mulher explicou que não tem condições de bancar um advogado para o filho, mas gostaria de ser contatada pela polícia para ajudar na negociação. Eva garantiu que deseja que Lázaro se entregue, por acreditar que esta seja a melhor opção no momento.

Mãe e filho conversaram apenas uma vez desde a chacina promovida por Lázaro, há pouco mais de duas semanas. Por telefone, o criminoso disse que não agiu sozinho no crime cometido em Ceilândia. Desde então, não entrou em contato.

Eva segue sofrendo à distância e parece não ter esperanças de um “final feliz”. “Está muito difícil. Não tenho cabeça para nada. Não consigo viver mais. Para mim, a vida acabou”, desabafou.

Lázaro segue foragido
Lázaro é acusado de matar toda uma família em Ceilândia e cometer outros diversos crimes durante sua fuga, que já dura 16 dias.

Cerca de 270 agentes das polícias civil e militar do Distrito Federal e de Goiás, cinco cães farejadores, helicópteros e outros recursos são usados na busca por Lázaro Barbosa, que ganhou na imprensa e nas redes sociais o apelido de ‘serial killer do DF’.