Uruçuca: Comissão de Finanças da Câmara de Vereadores aprova contas do prefeito Moacyr Júnior, reprovadas pelo TCM por improbidade administrativa

Manólia Barreto e Moacyr Leite Júnior

Num dos atos mais absurdos, já realizados na Câmara Municipal de Uruçuca, a Comissão de Finanças e Orçamento aprovou as contas do atual prefeito Moacyr Leite Júnior, referente ao ano de 2012, rejeitadas pelo TCM, por improbidade administrativa. Esta decisão deverá ir a plenário, na próxima segunda-feira, 28, quando a população deverá conhecer quem são os vereadores a favor da corrupção.

Naquele ano, 2012, o prefeito deixou de pagar mais de quatro meses de salários aos servidores contratados e comissionados, através de uma famigerada OSCIP, muito elogiada, na ocasião, pela atual presidente da Câmara, Magnólia Barreto e que gerou um passivo de mais de 5 milhões de reais, hoje, com correção, beirando a casa dos 13 milhões de reais. Não se sabe, até hoje, onde foi parar tanto dinheiro.

Os servidores com contratos, naquele ano, muitos trabalhando na atual administração, procuraram a justiça para receber seus direitos e quando houver a decisão, poderá ocorrer um estado de calamidade no município, prejudicando o mandato dos futuros prefeitos.

Em 2013, a ex-prefeita Fernanda Silva procurou ver a situação dos agentes de saúde que, também, ficaram sem receber salários, em dezembro de 2012, sendo prontamente ressarcidos, no início da gestão dela.

O ano de 2012, talvez tenha sido um dos mais desastrados, dos três mandatos do atual prefeito, vez que deixou mais de 6 meses de contas de água, luz, telefone, aluguéis, além de não ter prestado contas de convênios, como a Praça Gilberto Moura, Praça da Bíblia, etc..

Nas contas ora parcialmente aprovadas constam o não ressarcimento, aos Bancos, de créditos consignados descontados de servidores efetivos, além da não prestação de contas do PAA, PENAE, CAPS, CREAS e outros programas de assistência social.

Para escamotear as irregularidades, o prefeito determinou, no final daquele governo, a troca dos discos rígidos (HDs) de várias secretarias, por novos. Inclusive o setor de recursos humanos foi um dos mais afetados na ocasião, tendo muita dificuldade em resgatar os dados dos servidores, junto a empresa que prestou serviços alusivos ao RH, ao passo que a ex-prefeita Fernanda Silva entregou, em 2016, todos os computadores funcionando, com dados reais, inclusive com todas as informações prestadas a equipe de transição.

Por todas essas irregularidades, faz-se necessário que a população vá fiscalizar, nesta votação, seu vereador e aqueles que votarem a favor dessa excrescência, deve ser lembrado em 2020, de forma bem negativa, pois compactuou com a corrupção.

A votação da comissão de Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara Municipal de Uruçuca nos faz lembrar o saudoso ex-governador da Bahia, Otávio Mangabeira que dizia: “Pense num absurdo, a Bahia tem precedente”.

Vamos aguardar que na próxima segunda-feira, 28, essa distorção venha a ser corrigida, pelo plenário da Câmara que, se leu o parecer com as irregularidades, levantadas pelo TCM, poderia não aprovar as contas.

Água Preta News