Porto Seguro: Sargento do Exército e outros seis homens são presos suspeitos de tráfico de drogas

luciano
Sargento do Exército foi identificado como Luciano Simões de Siqueira Junior (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Grupo estava hospedado em um hotel situado na orla norte da cidade de Porto Seguro, sul do estado.

Um sargento do Exército Brasileiro e outros seis homens foram presos na última segunda-feira (12), em Porto Seguro, no sul da Bahia, suspeitos de integrar quadrilha de tráfico de drogas. Eles estavam hospedados em um hotel situado na orla norte da cidade.

Material foi apreendido com o grupo (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Material foi apreendido com o grupo (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

De acordo com informações da Polícia Civil, com o grupo foram encontrados 257 comprimidos de êxtase; 3 micropontos de LSD; 7 tabletes de maconha; 2 papelotes de cocaína; 89 frascos de lança perfume; 11 frascos de 500ml de “loló” (clorofórmio); 3 pedras brutas de substância não

identificada; 3 invólucros plásticos com resíduos de droga sintética; 5 ampolas de “durateston”; 7 seringas intactas; 6 comprimidos de da medicação “ultrogestan”; 1 frasco de “Silimarina” contendo 34 comprimidos; e R$1.567 em dinheiro.

Junto com o sargento, outros seis homens foram presos (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Junto com o sargento, outros seis homens foram presos (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Junto com o sargento do Exército, identificado como Luciano Simões de Siqueira Júnior, 32 anos, foram presos Gustavo de Santana Pelicano, 28; Leonardo de Oliveira Saraiva Lima, 34; Giuliano Loures Martins Lopes, 30; Francisco Edilson Rodrigues Souza Junior, 33; e Lucas Felipe Paschoal da Silva, 25. Todos são oriundos de Brasília.

Os homens foram autuados em flagrante pelo tipo previsto no Art. 33 da Lei 11.343/2006, conhecida como a Lei de Tóxicos. A pena prevista para este tipo de crime é reclusão de cinco a 15 anos e pagamento de multa.

O sargento do Exército Brasileiro, Luciano Simões de Siqueira Júnior, será encaminhado para custódia em Unidade do Exército.

G1