Ipiaú: Delegado da Polícia Civil e Comandante da PM falam sobre últimos homicídios ocorridos na cidade

Major PM Jocevã e Delegado Civil Dr. Rodrigo. (Reprodução)

Na tarde desta quinta-feira (10), o Delegado Territorial de Ipiaú, Dr. Rodrigo Fernando, juntamente com o Comandante da 55ª CIPM em Ipiaú, o Major Jocevã Oliveira realizaram uma coletiva de imprensa para comentar sobre os últimos homicídio e tentativas ocorridos na cidade de Ipiaú nesses últimos dias, sobretudo, nos crimes ocorridos no dia 1ª de Maio, quando uma mulher foi assassinada e outras três pessoas foram feridas e alvejadas, sendo uma delas uma criança.

De acordo com as informações fornecidas pelo Dr. Rodrigo e o Major Jocevã, praticamente todos os últimos delitos ocorridos na cidade relacionados a homicídios estão diretamente ligados uns aos outros, tendo como pano de fundo e principal motivação a disputa territorial entre grupos rivais de comercialização de entorpecentes, brigando pelo domínio das “bocas de fumo”.

Graças ao árduo trabalho investigativo das polícias, dos 5 últimos homicídios ocorridos e das outras 3 tentativas registradas na cidade nesses últimos dias, as autorias e co-autorias desses casos já foram levantadas nos processos investigativos e já foram socilitadas as prisões dos acusados, em número de aproximadamente oito envolvidos, sendo que entre eles há a confirmação da participação efetiva de um adolescente, que teve o pedido de apreensão solicitado pelo Delegado.

“Giraya e Timtim”. (Reprodução internet)

De acordo com as informações prestadas pelas autoridades, o agravamento desta disputa se deu desde o último “Saidão da Semana Santa”, quando ocorreu a execução simultânea dos homens identificados como Erenildo Lopes da Silva, vulgo “Tim Tim” e Jonas dos Santos Gomes, conhecido por “Giraya”, na noite do dia 31/03 (ver matéria), ambos pertencentes ao grupo entitulado como “Tudo 3”, por rivais do Grupo “Tudo 2”.

Thais e Fabrícia foram assassinadas, Caio e Elisabete sofreram tentativas de homicídio. (Foto: Montagem Ipiaú Online)

Após esta dupla execução, começou a ligação entre os demais homicídios. Segundo investigações, todas as demais vítimas executadas ou que sofreram tentativas de homicídios (Thais Souza, Fabrícia LealElisabete Guerra e Caio Alcântara) estariam diretamente e indiretamente ligados tanto nas mortes quanto na disputa pelo território de comercialização de drogas dos grupos citados. Ainda, em informações colhidas, cita-se que o ponto alto desta disputa gira em torno da comercialização e distribuição de drogas da região do Alto da Carolina, considerado um ponto estratégico para ambos os grupos.

Armas postadas em redes sociais como “ostentação” pelos acusados. Possívelmente usadas nos crimes. (Foto: Polícia Civil)

No que diz respeito às duas vítimas das tentativas de homicídios (Caio e Elisabete) que estavam internados em unidades hospitalares após escaparem com vida das tentativas de homcídios contra suas pessoas, ambos saíram das unidades hospitalares e desde então não foram mais vistos, tendo um deles, inclusive, saído sem ter recebido alta médica, provavelmente temendo que o grupo rival finalizasse a execução mesmo dentro do hospital. Um deles fugiu e refugiou-se no estado de São Paulo.

Das ocorrências de homicídios registradas na cidade, apenas a ocorrida na zona rural do município, na região da Água Branquinha, onde dois homens foram perseguidos e assassinados (ver matéria) não teriam – até o momento – ligação com esse crimes.

Contudo, foi levantado que até o homicídio ocorrido recentemente na cidade de Barra do Rocha, onde um frentista foi perseguido e assassinado em plena luz do dia em seu local de serviço (ver matéria), tenha a participação de um dos envolvidos nas mortes em Ipiaú, no entanto, até o momento, não há nenhuma ligação desta vítima com os fatos ocorridos em Ipiaú.

Em informação reiterada pelo Chefe do SI da Polícia Civil, o Investigador Toninho Araponga, foi enfatizado que, apesar dos limitados recursos que estão disponíveis, historicamente nunca se chegou a uma elucidação tão rápida de tantos delitos ocorridos na cidade, com o envolvimento de tantas ocorrências e vítimas, e que tudo isto só é possível graças ao esforço e dedicação de todos os policiais e investigadores empenhados em fazer de Ipiaú uma cidade mais segura.

Embasando a resposta das polícias no combate à criminalidade no município, em um balanço desse primeiro quadrimestre de 2018 em comparação com o ano de 2017, foi registrada uma redução de 45% na prática de homicídios na cidade.

Ainda, durante a entrevista, chegou até o conhecimento do Delegado e do Major, através de investigadores, que um dos suspeitos de envolvimento nesses delitos teria sido visto embarcando em um ônibus com destino a fora da cidade, de imediato foi ordenado um cerco e interceptação ao veículo, com o objetivo de deter o suspeito.

Até o fechamento desta matéria não foi informado se a diligência obteve êxito. Maiores informações a qualquer momento.

Ipiaú Online