Ilhéus: Empresários repudiam a “Lei da Carteirada”

carteira1O projeto de lei 53/2017 propõe entrada gratuita para agentes de segurança pública e salva-vidas nas atividades culturais de Ilhéus, além de meia-entrada para os familiares desses profissionais.

Ontem (26), um grupo de empresários de Ilhéus emitiu “nota de repúdio” contra a proposta do vereador Jerbson Moraes (PSD). No texto, os empreendedores chamam o projeto de “lei da carteirada”, numa referência ao uso que alguns profissionais de segurança fazem do status da profissão para entrar de graça em eventos fechados.

O edil retirou o projeto de lei da pauta dessa terça-feira (25) da Câmara de Vereadores. Segundo os empresários, caso a proposta seja aprovada, alguns deles vão encerrar os seus negócios em Ilhéus. Citaram os exemplos do Cine Santa Clara, único cinema da cidade, e do Batuba Beach Sound, evento da virada do ano. Leia a íntegra.

“NOTA DE REPÚDIO

Diante o Projeto de Lei 053/2017, de autoria do vereador Jerbson Moraes (PSD), que propõe a entrada gratuita para agentes de segurança e meia-entrada para seus familiares em diversas atividades culturais realizadas no município de Ilhéus, produtores, gestores e empreendedores culturais vêm a público repudiar o que chamam de “Lei da Carteirada”, que, caso seja aprovada, acarretará em profundos impactos negativos a economia deste município, já que inviabilizará toda manutenção de uma sensível cadeia produtiva de eventos.

Salientamos que, na realidade atual, os empreendedores culturais já encontram dificuldades para a realização de suas atividades e pouco dispõe de apoiadores ou patrocinadores para a realização destes, sendo o ingresso a única fonte de receita para garantir a viabilidade financeira das suas ações.

Tendo em vista isso, anunciamos as consequências que a aprovação da “Lei da carteirada” trará a Ilhéus e à sua população, além de visitantes, já que se trata de um município com grande apelo turístico:

– O Cine Santa Clara, localizado na Avenida Soares Lopes, e único cinema existente, terá as suas atividades encerradas no dia seguinte à aprovação da projeto de lei proposto pelo edil;

– O Batuba Beach Sound, maior evento privado de réveillon da Bahia, realizado há 10 anos em Olivença, terá a sua realização alterada para outro município da região, com condições favoráveis a isso;

– A contratação de atrações regionais em casas de shows, como o Mar Aberto, na zona sul, não será mais viável.

Todas as consequências são declaradas pelos gestores responsáveis aos empreendimentos citados e produtores locais.

Este grupo conta com o bom senso do vereador responsável pela criação do projeto, bem dos demais legisladores de Ilhéus, eleitos para atenderem, de forma responsável, aos anseios da população.

Ilhéus, 26 de julho de 2017.”

Blog do Gusmão