Elson Andrade: Qual a importância de participar de feiras, eventos e congressos em sua área de negócio?

Sem dívida alguma, uma das mais eficientes formas de desenvolvimento acelerado, ou correção de rota, de um negócio (existente ou em formação) é a participação em feiras, congressos e eventos da sua área de negócio. A fim de alavancar a capacidade e eficiência comercial, técnica, melhoria da qualidade e assertividade, além da construção de uma networking, melhor conhecendo as empresas, pessoas, cases e benchmarkings de sucesso relacionados.

A pequena cidade que bem souber da importância e impacto para o desenvolvimento local, seleciona, promove, apoia caravanas de visitação as múltiplas feiras, congressos e eventos, com fulcro a aceleração do desenvolvimento de empresas e negócios locais, através da melhora do conhecimento das cadeias de suprimentos globais, além da integração e capacitação dos seus munícipes.

Em termos comerciais e práticos, as feiras proporcionam condições de negociação imediata dos produtos e serviços expostos e a possibilidade de criar um intercâmbio comercial permanente.

Porém estes visitantes devem estar orientados a ter participações bem objetivas, pois quem está expondo ali, tem metas e resultados previamente estudados e traçados.

Um dos grandes erros do visitante novato, é ficar rodando pelos corredores, acanhado, apenas coletando folders. Não faça isto! Entre nos Stands, converse objetivamente com poucos expositores, mas, mergulhe profundamente na lógica do produto, mercado, relacionamento…

Abaixo, um apanhado dos objetivos, pelo ponto de vista do expositor, aos quais você deve previamente estar ciente:

Concentração: a forma mais efetiva de vender ou promover um produto é o contato direto. A publicidade é a melhor maneira de torná-lo acessível a um maior número de pessoas. Uma feira combina as vantagens de venda pessoal e a publicidade, ao concentrar no local grande número de compradores, proporcionando a oportunidade para divulgação direta de mensagens de venda.

Avaliação de reações: as feiras comerciais representam o mais imediato e seguro meio de verificar o desempenho de um produto. O expositor pode detectar, no ato, a adequabilidade do produto para o mercado onde se encontra, ou ainda efetuar mudanças para torná-lo apropriado.

Interesse do público: os executivos dos setores de compras das empresas visitam os eventos promocionais, porque se interessam em verificar o que está sendo ofertado. A tendência é apresentarem-se imbuídos da síndrome do “espírito de compra”, portanto mais receptivos a novos fornecedores locais do que nos contatos feitos no próprio escritório.

Públicos desconhecidos: deve-se considerar a vantagem de realização de contatos entre o expositor e um grande número de pessoas e profissionais, que de outro modo estariam fora do seu conhecimento.

Visão da Competição: grandes feiras tendem a reunir expositores que representam as mais importantes companhias de cada ramo de atividade, permitindo a qualquer participante condições para estudar os produtos e as técnicas mercadológicas das empresas bem sucedidas.

Tipos de Feiras:
Para participar, é essencial conhecer a natureza da feira, seu público e expositores. Em geral, as feiras enquadram-se em quatro categorias:
Grande feiras de interesse geral: exibem vários tipos de artigos de consumo e industriais, abertas ao público e a visitas de homens de negócio. O público pode ser internacional, nacional, regional ou até mesmo local. O principal problema para uma empresa exibir-se nessas feiras é a dificuldade em atrair para o stand um número considerável de público-alvo. Apenas pequeno percentual do número de visitantes se interessa pelo o que está oferecendo. Mesmo assim, muitas mostras desta categoria dispõem de pavilhões especializados.

Grandes feiras comerciais especializadas: destinadas basicamente a visitantes profissionais. O acesso do público em geral é restrito a alguns feiras e a horários determinados. São especializadas em setores industriais ou comerciais ou às vezes em termos de mercado, variando bastante o grau de especialização. Permitem melhor aproveitamento comercial por atraírem contingente expressivo de visitantes profissionais.

Feiras secundárias: abrangem a maioria das feiras comerciais. Embora pequenas, podem ser importantes em seus respectivos campos, pois incluem frequentemente mostras altamente especializadas. Em geral, limitam-se a visitantes profissionais e em muitas exibições regionais destinam-se especificamente a varejistas.

Para firmas já estabelecidas no mercado, as feiras nacionais e regionais são meios importantes para expansão do comércio a todos os níveis ou reforço do esquema de distribuição.

Feiras de consumo: destinam-se a públicos e produtos em geral, ainda que certas mostras reservem espaço promocional para venda a consumidores especialistas em diversos campos. A participação da empresa nas feiras de consumo pode implicar em desperdício de tempo e capital, salvo se essa expositora possuir sólido canal de distribuição no mercado local e seus produtos estiverem disponíveis no comércio varejista. (Fonte: abinee.org.br).

Programe-se. Invista. Veja a relação das melhores feiras e eventos empresariais para ainda 2018, as melhores do eixo RJ-SP, Através do link abaixo:
http://www.acontecaeventos.com.br/calendario-eventos-feiras-2018-sao-paulo.php?&p=1

Elson Andrade – arquiteto, urbanista, empresário e pós graduando Instituto de Economia da Unicamp.